25 DE JULHO - DIA DO ESCRITOR - ANGEL MARIE MARQUES





Desde que me conheço como gente, eu amo a escrita. Acreditem, nos primeiros ensaios da infância os quais comecei a aprender a ler e escrever, já era uma amante de ambos. E como eu escrevia. E como eu lia. Rsrsrs...acho que é algo que vem da alma, a gente nasce e já traz no gens. Adotei a escrita como terapia - e como ela sempre me ajudou no autoconhecimento, no fortalecimento do meu emocional - mas nunca imaginei tê-la como profissão, também, apesar de sempre saber que queria tocar almas e corações, assim como me tocava escrever.

Já na infância ensaiei escrever poemas, peças, textos reflexivos, mensagens motivacionais e tudo isso era compartilhado, mas apenas como um hobbie, uma diversão. Até que um editor, eu já adolescente, quis colocar meu primeiro poema, escrito aos 8 anos, em uma coletânea de poesia, Grão de Vidro, a qual participei ao lado de queridos e já experientes poetas. Uma honra para uma jovem de 18 anos.

De lá para cá, escrevi muito, não só poemas, como crônicas, contos, textos reflexivos, peças, roteiros para curtas, etc, mas fui deixando tudo engavetado, ou melhor, arquivado. Até que um dia enfim tive a coragem de produzir uma peça escrita por mim. Depois, de lançar meu primeiro livro solo - um livro motivacional, com a intenção de motivar e ajudar, nem que um pouco, a melhorar a vida de quem o lesse. Participei, também, de mais uma coletânea, dessa vez de crônicas. Escrevi para sites. Criei Blog, página na internet. Sei que ainda é pouco, pois material tenho demais para muitos livros, realizar peças, curtas, participar de coletâneas e mostrar ao mundo tudo que carrego no coração, mas sei também que tudo é no seu tempo.

E assim sigo expondo meus textos através desse canal genial que é a internet. Mesmo que aos poucos, em doses homeopáticas, vou podendo cumprir a minha missão com a escrita: fazer refletir, motivar e, quem sabe, transformar a vida de alguém com um pouco de otimismo, alegria e palavras vindas do meu coração.

Sei que ainda tenho muito a produzir, na verdade já até produzo, todo dia, pois tudo é motivo para escrever...rsrs mas espero mesmo é que um dia possa ter a escrita como uma profissão valorizada e, quem sabe, melhor remunerada, para enfim poder tê-la como a única e principal atividade em minha vida. Porque se me perguntarem o que eu mais amo fazer nessa vida, sem pestanejar direi: ESCREVER!!!

Parabéns à todos os queridos escritores que tanto alimentam almas de magia, alegria, otimismo e vida!!

Ps: Já perceberam pelos longos textos o quanto amo escrever, né?? Rsrsrs...

Comentários