BLOG DA GAIVOTA ENTREVISTA LINDINALVA SILVA



Clique na foto para ampliá-la


B.G .Quem é Lindinalva Silva?
L.S: Eu diria que uma mulher destemida, determinada, perfeccionista e organizada, que aprecia o simples e o natural; não dada à insistência e a conversas frívolas; ama a natureza com todas as suas nuances e apaixonada pelo mar por sua força e mistérios; valoriza muito a sensibilidade, a inteligência e a essência da alma humana.

B.G: Há quanto tempo mora em Salvador?
L.S:Há 29 anos

B.G: Qual sua formação acadêmica?
L.S:Farmácia bioquímica graduada pela UFBa

B.G: Quais atividades profissionais você já desenvolveu e desenvolve no momento?
L.S:Farmacêutica e bioquímica; coordenadora de laboratórios de análises clínicas; professora de cursos na área de saúde e agora escritora. Atualmente exerço todas, exceto a de professora em cursos de saúde.

B.G: O que marcou a vida de Lindinalva Silva?  
L.S:O que mais marcou foi conhecer Yisrael, sobretudo Jerusalém.



B.G: Como foi a sua infância? Ainda tem os mesmos sonhos infantis? Realizou alguns dos sonhos da Lindinalva adolescente? O que marcou sua vida na infância? Isso contribuiu de que forma para a vida adulta? 
L.S: Minha infância foi maravilhosa, no interior do extremo Sul da Bahia, num distrito chamado Itupeva. Fui criada com minha avó e sempre gostei muito de ler e pesquisar. Meus sonhos eram me formar, trabalhar, me casar, ter uma filha, viajar bastante e crescer intelectualmente e espiritualmente. Um dos sonhos da adolescência era fazer um cruzeiro pelas ilhas gregas, o que realizei ano passado. Todos os meus sonhos, graças ao Eterno, foram realizados. Agora o que quero é estar sempre em ascensão espiritual, contribuindo com o crescimento de outros.
Muitas coisas marcaram minha vida na infância, entre elas o meu aniversário de 5 anos que nunca me esqueço dos detalhes. E o aniversário de 9 anos onde minha mãe me propôs três presentes para que escolhesse o que queria ganhar: um piano, uma bicicleta ou uma máquina de datilografia. É óbvio que escolhi a máquina! Sempre amei ler e escrever.
Sim, todas as coisas que me aconteceram com certeza contribuíram para o meu crescimento e realização. Tive sempre o apoio da minha avó que me criou com todo amor, da minha mãe que veio morar em Salvador e mesmo com toda dificuldade que enfrentou no início, nunca deixou de nos enviar (a mim e aos meus irmãos) tudo o que precisávamos, inclusive muita literatura para mim, e também o apoio dos meus irmãos os quais foram peças importantes na minha vida.

B.G: Quais as suas preferências culturais?
L.S: Leitura, documentários televisivos e eventos literários.

B.G: Qual seu estilo literário? 
L.S:Histórico e espiritual/metafísico

B.G: Qual a sua obra que mais identifica com você? 
L.S:Bem, esse é meu primeiro livro. Tenho outros escritos, porém não editados, de poemas. No entanto essa obra histórica e ao mesmo tempo espiritual é a minha cara.

B.G: Qual a visão que você tem do escritor independente? 
L.S:O escritor independente deve ter em mente que o trabalho de escrever e produzir o seu livro termina, porém seu maior desafio apenas começa. Agora ele terá que trabalhar para construir a reputação do seu livro e a sua própria, etapa tão importante quanto o próprio texto. A divulgação é muito importante e principalmente convencer o público de que aquele produto pode mudar uma vida, causar uma transformação efetiva.



B.G: Quais são seus planos como escritora?
L.S: Continuar escrevendo sobre temas que ajude as pessoas a crescerem interiormente. Minha maior preocupação é a nível de alma. Quero levar a Luz para aqueles que carecem dela. A cada dia recebo mais dessa Luz e minha responsabilidade e prazer é compartilhá-la, contribuindo dessa forma para a elevação de outras pessoas.


B.G: Quantas obras você tem para lançar e quais são elas?
L.S: Bem, tenho 04 livros de poemas escritos. Escrevo desde os meus 12 anos e sempre amei a poesia! Todavia, hoje os meus anseios são diferentes. Faz algum tempo que comecei a trilhar o caminho espiritual que é de uma amplitude sem limites. E quanto mais eu avanço, mais sinto o quanto longe eu estou, devido a imensidão infinita que vislumbro à frente. Portanto, meus interesses hoje são todos voltados para a realidade metafísica, a qual é a realidade absoluta, enquanto a nossa, que representa uma realidade ilusória, abrange apenas 10% da totalidade. Mencionei tudo isso para dizer que não tenho muito interesse em trabalhar para lançar esses livros que escrevi, mas sim para escrever outros dentro do tema judaísmo e kabbalah. Estarei lançando no próximo dia 11 de maio a partir das 17h o meu primeiro livro, ' A SAGA DO JUDAÍSMO E A CRIAÇÃO DA NOVA RELIGIÃO CRISTÃ' no Museu de Arte da Bahia ( Corredor da Vitória). 



"O escritor independente deve ter em mente que o trabalho de escrever e produzir o seu livro termina, porém seu maior desafio apenas começa. Agora ele terá que trabalhar para construir a reputação do seu livro e a sua própria, etapa tão importante quanto o próprio texto. A divulgação é muito importante e principalmente convencer o público de que aquele produto pode mudar uma vida, causar uma transformação efetiva".



B.G: Quando eu vi o material que você tinha sobre Judaísmo e você querendo apenas fazer cópias e distribuir aos seus alunos, amigos e irmãos da religião, a aconselhei que lançasse um livro. Qual a sensação que você tem agora que o livro está pronto? 
L.S: É como um filho. Eu sempre gostei de preparar estudos sobre os mais diversos assuntos, com o intuito de passar o que aprendi para outros. É a necessidade de compartilhar, a qual é inerente à alma humana e vem acolhida no seu interior desde os primórdios, mesmo antes de nos estabelecermos fisicamente. Portanto esse livro é muito importante pra mim, pois poderei estar compartilhando a um nível de alcance maior, mais amplo. E creio que a sua leitura será de grande auxílio para “despertar” aquelas almas que anseiam pela “verdade”. A partir daí é só seguir pesquisando para descobrir o infinito.

B.G: De que forma pretende fazer a distribuição?
L.S: A priori, com amigos, conhecidos, divulgação em redes sociais, blogs, etc.

B.G: Conta para os seus leitores a razão de escrever sobre o Judaísmo.
L.S: Porque o judaísmo hoje faz parte da minha vida e creio que deveria fazer parte da vida de todos, pois é o princípio, o início de tudo. Aprendi uma coisa: Se você quer conhecer a essência de algo, vá até as suas origens. E foi isso que fiz. Qual a origem do ser humano? Qual o objetivo de estarmos aqui? De onde viemos?  A que viemos? Para onde vamos? Todas as respostas para estas perguntas estão no judaísmo. Ele foi o princípio de tudo, pois quem o criou foi o próprio Arquiteto do universo. E além de criá-lo, Ele deu todas as diretrizes para o ser humano viver nesse planeta e ter qualidade de vida. Nós somos muito mais do que matéria. A nossa essência é invisível, e reside dentro da matéria. Estudar sobre esta essência é o que mais me fascina, pois a cada dia eu descubro coisas novas e grandiosas que me deixam simplesmente extasiada diante de tanta sabedoria. Estou só no comecinho e ainda pretendo avançar muito.




"Eu sempre gostei de preparar estudos sobre os mais diversos assuntos, com o intuito de passar o que aprendi para outros. É a necessidade de compartilhar, a qual é inerente à alma humana e vem acolhida no seu interior desde os primórdios, mesmo antes de nos estabelecermos fisicamente".




B.G: Sei que você esteve em Israel três vezes. Quais as principais impressões que você traz da cultura judaica?
L.S: Nossa, é lindo demais! São mandamentos e tradições passadas de geração à geração oriundas dos tratos religiosos, transmitidos através dos patriarcas e da Torah. Fazem parte: A circuncisão dos meninos (aos 8 dias de vida); o Bar Mitzvah que representa a iniciação na vida adulta para os meninos (aos 13 anos de idade) e a Bat Mitzvah para as meninas (aos 12 anos de idade); O uso do Kippá para os homens judeus , pequena touca, que representa a submissão a D’us. Nas sinagogas existe uma arca que representa a ligação entre D’us e o povo judeu, onde são guardados os pergaminhos sagrados da Torah; os alimentos das leis de Kashrut onde alimento Kasher significa apto ou apropriado para comer; as festas judaicas que foram convocações santas para o povo de D’us; o uso do talit, um manto de oração usado pelos judeus, etc. Enfim... a halachá que é o conjunto das leis  que regem o judaísmo consta de 613 mitzvot ou mandamentos que o judeu deve cumprir. E todas têm como objetivo a elevação da alma. É tudo muito belo!


B.G: Relacione três pontos fundamentais do Judaísmo que vai de encontro às doutrinas do Cristianismo.
L.S:  A Torah que é o manual do judaísmo e que o cristianismo excluiu do seu credo,  o Shemah que é a profissão de fé do monoteísmo judaico: D’us é UM. O cristianismo prega a doutrina da trindade que é completamente contrária ao shemah, onde existem três deuses. O Messias de Yisrael que os judeus ainda aguardam e o Messias do cristianismo já veio.

B.G: Pretende escrever novos livros dando continuidade ao tema Judaísmo?
L.S: Com certeza! Com a permissão do Eterno de Yisrael, continuarei divulgando o tema através da literatura.

B.G: E quanto aos seus livros de poesia, porque estão na gaveta por tanto tempo? Pretende lançar algum deles?
L.S: Bem, esta pergunta creio que já respondi numa anterior. Hoje não tenho nenhum interesse em trabalhar com esse propósito. Caso haja uma facilidade surgindo uma oportunidade, pode ser que aconteça, mas não que eu vá “correr atrás” disso.

B.G: Resume Lindinalva  Silva em uma frase:
L.S: Lindinalva Silva é completamente apaixonada pelo D’us de Yisrael, e por Ele e para Ele se dispõe.









Crédito: Lena Filha/Lucymar Soares
Realização:  Blog da Gaivota





Assessoria: Lucymar Soares
71 – 99202-5745 (TIM – WhatsApp )



Comentários