VIOLÊNCIA INFANTIL - DENUNCIE





Olá criançada! Vocês sabiam que existe um conjunto de leis que foram criadas especialmente para proteger vocês? Não sabiam? Então chegou a hora de vocês terem o conhecimento das leis que dão proteção a todas as crianças e aos adolescentes também. Mas, primeiro vamos saber quem é criança e quem é adolescente. Bom, criança são as pessoas de 0 a 12 anos incompletos e adolescentes são as pessoas de 12 a 18 anos incompletos, acima de 18 são os adultos.

Vou apresentar a vocês o livro onde estão todas as leis que lhes dão proteção. Ele tem um nome engraçado, costuma-se chamá-lo de ECA. É porque ECA significa Estatuo da Criança e do Adolescente. Ele foi criado em 13 de julho de 1990 pelo Governo Federal brasileiro - Lei nº 8.069. Esse ano o ECA completou 19 anos. Ele não é mais uma criança e nem um adolescente, agora o ECA já é um adulto. Lembrem-se que acima de 18 anos é adulto.





Agora leia o ECA com a Turma da Mônica e fique por dentro dos seus direitos

Vocês devem estar curiosos para saber mais sobre o ECA não é mesmo? Pois é, como são muitas leis eu vou deixar um link:


Onde vocês irão clicar e conhecer mais o ECA contado pela turma da Mônica.



Quando o bebê ainda está na barriga da mamãe, ele já tem direito. É isso mesmo! Toda criança merece todo o carinho e proteção necessárias, afinal vocês são criaturinhas indefesas.


Foi preciso que criassem o ECA para que os adultos malvados sejam punidos se maltratarem vocês.

Vocês devem estar curiosos para saber mais sobre o ECA não é mesmo? Pois é, como são muitas leis eu vou deixar um link:
http://www.fundacaofia.com.br/ceats/eca_gibi/capa.htm onde vocês irão clicar e conhecer mais o ECA contado pela turma da Mônica.

O importante agora é que vocês já sabem que tem os direitos garantidos por lei. Sempre que alguém fizer alguma coisa com vocês que vocês perceberem que estão sendo maltratados, abusados, violentados, negligenciados, já sabem que podem procura qualquer órgão que seja responsável pela aplicação dessas leis para fazer com que seus direitos sejam respeitados.

Vocês podem procurar o Conselho Tutelar, a 1ª Vara da Infância e Juventude e o Ministério Público da sua cidade.

Clique aqui e veja alguns contatos onde vocês podem fazer as denuncias:

Ou liguem para o número 100












BATE-PAPO - E CHAT TÊM O MESMO SIGNIFICADO







Bate-papo e chat significa “conversa” em tempo real pela internet. Essa, dentre outras ferramentas da NET, tem partilhado muitos momentos das pessoas, motivando-as a se divertirem ou divertido-as, apresentando novas pessoas com a possibilidade de amizade e até mesmo namorar.Funciona assim: As pessoas se reúnem em “canais” ou “salas”, essas salas já existem na internet e ali você poderá encontrar várias pessoas. Você pode escolher conversar com as pessoas da faixa de idade de sua preferência, de outras cidades e países. De tudo pode surgir, mas você pode selecionar quem você quer bater papo. Quando você perceber que não esta te agradando, poderá mudar de sala ou simplesmente não responder.

APRESENTAÇÃO DESSE BLOG


O propósito inicial deste blog foi postar textos referente a disciplina “Pequenos Meios de Comunicação”, como avaliação da I Unidade do curso de Jornalismo.
O curso foi concluído e decidimos continuar com o blog postando temas variados, porém voltado para a reflexão, disseminação da cultura em suas várias vertentes.


Lucymar Soares

MALASSOMBRADO


UM JEITO NOVO DE INFORMAR



O Malassombrado é um pequeno meio de comunicação conhecido não só na Cidade Baixa, mas também em toda Salvador, afinal de contas quem não conhece o pequeno ‘trio malassombrado’?

O irreverente termo, surgiu através das pessoas e como se diz por aí, “A voz do povo é a voz de DEUS”, o apelido pegou e o “comunicador” adotou o nome.







Edvaldo Ribeiro e Silva, 38, residente no bairro da Mangueira, se considera comunicador. A idéia surgiu devido à admiração que tem por trio-elétrico. “Eu não sou daqui, nasci em Olinda e ao vir morar em Salvador fiquei encantado ao ver o trio-elétrico, e isso foi há 16 anos, e já estou com a quinta versão do carro.”

Edvaldo não tem funcionários e conta que quem mais procura os serviços são os comerciantes do local com intenção de aumentar o numero de vendas. “Eles passam pra mim as promoções, as atividades, como vai ser o sistema de pagamento e o resto eu elaboro e vou incrementando”, conta.






Os equipamentos utilizados no carrinho têm mecânica de vários tipos de carros, na sonorização mesa reverbi, microfone, amplificadores e alto falantes. “O carrinho fui eu que confeccionei, tem mecânica de Gol, Chevete, Fiat e Santana. Mas pelo fato de vir de uma família carente não ter a possibilidade de ter um trio, eu o fiz da minha maneira e da minha possibilidade, foi onde surgiu o malassombrado”, orgulha-se.


“Não tenho cursos na área de comunicação, nem de mecânica, nem de serralheiro, tão pouco marceneiro, as quais precisei para fabricar o mini trio. Já fui candidato a vereador pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN). Os trabalhos que faço se tornaram um cartão de visitas e me ajudou a receber 4.856 votos, mais o que veio a fortalecer foram os trabalhos sociais que desenvolvo e alguns benefícios que eu trouxe pra comunidade através do meu trabalho, como, pavimentação, escadaria, saneamento básico, atendimento médico e odontológico. É como se fosse uma feira comunitária de saúde na comunidade através de órgãos competentes. Foi através desse pequeno meio de comunicação que eu cheguei às pessoas que poderiam trazer esses serviços”, relata.





Mesmo não sendo eleito, e devido a sua popularidade, o Malassombrado recebeu propostas de pessoas ligadas à política. E diz não ter aceitado ainda, por conta dos compromissos que ele tem com o mini-trio. “Eu sempre faço atividades no natal, ano novo, seis de janeiro que é uma festa tradicional, a segunda-feira gorda da Ribeira, Lavagem do Bonfim e depois carnaval. Eu me ocupo muito, e só vou poder ter mais tempo após a semana santa”, expõe.


Trabalhando como autônomo, e com o trio Malassombrado, ele faz publicidade para bandas, estabelecimentos comerciais, igrejas e associações nas ruas e avenidas da Cidade Baixa. Ele diz que há momentos que fatura R$ 400 por semana e conta não se importar com os concorrentes. “O sol nasce para todos!”, conclui.

Texto: Sueli Lopo
Foto: Sueli Lopo




A ARTE DO NEGÓCIO É COMUNICAR COM CRIATIVIDADE





“ROBSONPROPAGANDA”

Um novo pequeno meio de comunicação chama a atenção nas ruas de Salvador






Utilizando um carro de mão, bateria, som automotivo, duas bocas de alto falantes, corneta, tuita e uma pessoa para manipular a invenção, a “Robsonpropaganda” sai pelas ruas da Cidade Baixa anunciando as empresas que contratam seus serviços para divulgar os mais diversos produtos.


Ricardo Eletron Empréstimo, o Boticário, Shopping Bahia Out Let Center, Ponto Celtim, Banco BMG, Mercado Novo, Hort Frut Santana, Luiza Cosmético, Bijú Mania, Escola Técnica de Enfermagem – SILDE que segundo Robson Barbosa, 23 anos, proprietário da Robsonpropaganda e inventor desse novo pequeno meio de comunicação, são alguns de seus clientes.

“Geralmente quem procura nossos serviços são as pequenas empresas como mercadinhos, salão de beleza, escolinhas particulares, mas temos também mercados grandes e empresas maiores”, afirma Robson.







A Robsonpropaganda possui clientes nos bairros Uruguai, Ribeira, Boa Viagem, Mangueira, Caminho de Areia, Calçada, enfim em toda a Cidade Baixa.

Robson é casado com Cíntia Barbosa, 21 anos, com quem tem dois filhos. Ela cuida da parte administrativa do pequeno meio. “Estou fazendo cursinho e vou prestar o vestibular em Administração de Empresa. Pretendo me qualificar melhor para expandir os nossos negócios. As pessoas vivem dizendo para procuramos um trabalho de carteira assinada, mas eu prefiro mil vezes está trabalhando com os nossos carrinhos de propaganda. Tiramos o suficiente para pagarmos os três funcionários e nos mantermos tranquilamente”, disse Cíntia.

O casal está tão animado com sua invenção que pretende levar os serviços para a Cidade Alta. Segundo Robson, eles começaram com um carro e hoje já trabalham com quatro carros e cinco funcionários, incluindo ele e a esposa. Ela administra e ele sai pelas ruas divulgando produtos dos seus clientes, além de construir os texto e gravar as propagandas.







Robson não tem curso acadêmico voltado para o setor de Publicidade. Descobriu sua vocação quando trabalhava de repositor em um Supermercado que tinha um carro próprio de propaganda.

Ele conta que certo dia pediu ao rapaz que coordenava o carro de som do Supermercado para dar uma “palhinha”, foi quando sua voz e entonação despertou o interesse tanto dele, quanto do rapaz que a partir daí passou a auxiliá-lo.


Algum tempo depois, o Supermercado mudou-se e Robson resolveu trabalhar por conta própria. Colocou um som num carro de mão e passou a fazer propaganda nas portas das lojas, daí pra frente à criatividade foi chegando aos poucos. Hoje, ele tem esse modelo exclusivo de serviço comercial com o qual lidera em toda a Cidade Baixa.

Devido ao alto custo de espaço em grandes meios de comunicação como TV, Rádio, Internet e Jornal Impresso, as pequenas empresas em busca do cliente, procuram pequenos meios de comunicação para divulgarem os produtos.





Rádio comunitária, rádio poste, panfleto, carro de som são algumas das opções dos pequenos empresários de bairro. Dentre esses meios, surge nas ruas de Salvador o serviço de propaganda utilizando carro de mão, bicicleta, moto e bugre. Trata-se de uma nova invenção que pelo baixo custo de funcionamento, possibilita qualquer pessoa que tenha seu pequeno negócio divulgar um produto e obter bons resultados, pagando barato pelo serviço.

A invenção com o carro de mão, por exemplo, tem despesa somente com um funcionário para cada carro e a reposição de pneus e bateria quando ocorre desgaste. Por isso é possível oferecer o serviço ainda mais barato que a bicicleta, a moto e o bugre, pois os gastos são quase zero em comparação à bicicleta que exige manutenção semanal. A moto e o bugre, além de peças, tem o gasto com o combustível.

Ainda existem outras vantagens nesse serviço, além do custo ser baixo, há a possibilidade de penetrar em becos e ruas pequenas, expor os cartazes nas laterais das caixas de som que ficam em cima do carinho, e ter a proteção do sol e chuva. “A única aparente desvantagem é que temos que empurrar o carinho, mas isso é bom porque queima as calorias e não deixa de ser um exercício. No inicio é meio difícil, mas depois acostuma”, diz Robson.








Texto: Lucymar Soares
Foto: Lucymar Soares
Pesquisa: Lucymar Soares/Sueli Lopo