INDÚSTRIA DO FUTURO TERÁ INTEGRAÇÃO ENTRE HUMANOS E ROBÔS


Por Victor Caputo, de EXAME.com

Em "O Homem Bicentenário", Robin Williams vive o robô Andrew Martin, que busca a liberdade

A previsão é da Arup, empresa de engenharia de projetos, sediada na Inglaterra. Ela foi publicada em um relatório internacional chamado Repensando a fábrica. "A inevitável mudança para formas mais enxutas, inteligentes e flexíveis de produção terá uma série de impactos sobre a forma como fábricas são projetadas", escreve a Arup.

A empresa sugere que os humanos não serão substituídos por robôs (como alguns preveem), mas que os dois trabalharão juntos. Essa integração seria a marca da quarta revolução industrial - que estamos experimentando atualmente.


Uma das principais características dessa revolução seria com o uso de tecnologias ciberfísicas. O papel dos humanos seria menos de lidar com tarefas manuais e mais de supervisionar cadeias de produção e de analisar dados.

A aposta da Arup é que a interação entre humanos e máquina deixará de ser feita usando métodos tradicionais, como o uso de um computador dotado de mouse e teclado. No lugar estariam ferramentas como a fala, gestos, expressões corporais e dispositivos como óculos inteligentes

Tecnologias aplicadas em materiais também colaborariam com a quarta revolução industrial. Na lista, a Arup fala de materiais autolimpantes e autorreparáveis como exemplos. Os impactos seriam bens com maior vida útil e uma demanda considerável por matérias-primas.

Impressão 3D

Outro assunto explorado pela Arup é a impressão 3D. Eles acreditam que o uso em larga escala dessa tecnologia na linha de produção irá mudar a distribuição geográfica de fábricas.

"Impressão 3D permitirá que as fábricas sejam mais móveis e dispersas. As localizações de fábricas podem ser mais variadas e mais próximas dos consumidores", afirma a empresa. "A utilização de impressão 3D na manufatura pode reduzi a quantidade de produtos desperdiçados e também a quantidade de energia empregada."

O relatório completo está disponível no site da empresa. Ele está em inglês e pode ser acessado aqui.


Comentários