RESULTADO DA SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA RESIDÊNCIA ARTÍSTICA PARA ESCRITORES NO INSTITUTO SACATAR




O resultado do Edital de Residência Artística para Escritores do Instituto Sacatar, realizado por meio de parceria com a Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb/SecultBA), foi divulgado pelo Diário Oficial do Estado no final de novembro (24). O selecionado foi Márcio Ramos Junqueira, artista visual e poeta do distrito de Arraial d'Ajuda, em Porto Seguro, que apresentou a proposta “Diário de pegação”.

O Edital de Residência Artística foi lançado em 29 de setembro deste ano pela Funceb, que apoia o Sacatar pelo quarto ano consecutivo, contribuindo para o  desenvolvimento da escrita e crescimento de artistas. As propostas selecionadas foram julgadas pelos membros da comissão: Augusto Sérgio Soares e Marcelo Augusto Thomaz, ambos do Instituto Sacatar; Dayse Sacramento de Oliveira, professora e doutoranda em Literatura e Cultura no Instituto Federal da Bahia (IFBA); e Karina Rabinovitz, Coordenadora de Literatura da Funceb.

“O princípio da Residência Artística é a criação, e como primeira etapa dos elos da rede produtiva, sabemos o quanto é importante cuidar do tempo e espaço destinados a este princípio. É essencial dar importância ao tempo da criação do artista, tanto quanto à sua formação, produção e difusão”, conta Karina Rabinovitz, Coordenadora de Literatura da Funceb.

Instituto Sacatar – Localizado na Ilha de Itaparica, o Instituto é uma residência artística que reúne pessoas de vários países, promovendo a troca de experiências entre os profissionais de variadas disciplinas criativas. Os artistas residentes no Sacatar são incentivados a se envolver com a população baiana, promovendo um intercâmbio cultural onde os resultados são partilhados através de programas públicos.

O Sacatar, que desde 2001 oferece espaço para que artistas desenvolvam novos projetos, é a primeira residência internacional que se estabeleceu no Brasil e tornou-se uma das maiores da América Latina.

De acordo com o Edital,  o Instituto Sacatar fica responsável por prover ao selecionado suíte individual (quarto e banheiro) e um estúdio separado, ambos na sede do Instituto, além de todas as refeições. “A Residência oferece um lugar onde artistas possam conviver e criar; facilitar a interação e a colaboração dos artistas com a comunidade; e estimular a arte e a criação”, explica a Coordenadora de Literatura.

Diário de Pegação – Márcio Junqueira, mestre em Literatura Brasileira pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), conta que a ideia do projeto surgiu em 2014, e é uma série de registros e experimentos gráficos autoficcionais que se passam em rodoviárias e aeroportos. As histórias são independentes e “tratam sobre o desejo, algo que engloba o sexo, mas que se expande para  além dele”, explica.

O selecionado iniciará a residência na próxima segunda-feira (11). Márcio fala sobre seus desejos após sua estadia em Itaparica: “eu tenho centenas de  pretensões megalomaníacas  pra essa série pós-sacatar. A menor delas é fazer uma publicação/exposição e rodar o Brasil, apresentando esses inventos”, diz.

Coordenação de Literatura da FUNCEB

LANÇAMENTO DO LIVRO O TEATRO QUE CORRE NAS VIAS NO PALACETE DAS ARTES





Pós Doutorando Marcelo Sousa Brito lança seu segundo livro no próximo dia 12

Com a união de teoria e prática, a pesquisa de doutorado do pesquisador Marcelo Sousa Brito (BA), O Teatro que Corre nas Vias, resulta no lançamento de seu segundo livro na área de Artes Cênicas, pela Edufba, no próximo dia 12 de dezembro, das 17h às 20h, no Palacete das Artes – Graça, Salvador.

A obra pretende relacionar teatro e lugar com uma abordagem fenomenológica. “A escolha do conceito de lugar possibilitou um recorte mais específico, principalmente por ser no lugar onde encontramos com mais intensidade o sentido de pertencimento, de experiência e afeto” – revela Brito, que contou com o apoio de autores da área de geografia para chegar à criação/construção de conceitos como corpo-lugar, lugar-cênico, intervenção viária, além de apresentar a noção de teatricidade, como essência das relações artista-cidadão/espaço urbano e teatro/cidade.

Durante o processo de construção do doutorado, pela Universidade Federal da Bahia, com orientação de Eliene Benício, foram levadas em conta algumas práticas como ator e diretor de teatro, realizadas em Salvador, Fortaleza, Campinas-SP e na Europa, em Paris. “Autores da geografia, da fenomenologia e do teatro dão suporte para a aplicação desses conceitos e para a consecução de uma metodologia experimental na qual esses conceitos, categoria e essência, foram norteadores da pesquisa” -detalha o pesquisador. 

O objetivo foi, portanto, refletir como a arte urbana – especialmente o teatro – se apropria dos lugares que as cidades oferecem enquanto potencialidade, buscando, para isso, elementos de apoio no teatro de rua e nas novas linguagens, como a performance, a intervenção urbana e o happening, bem como nos espetáculos em espaços não convencionais. 

Como possibilidade de atualizar o debate, foram consultados oito entrevistados, artistas-pesquisadores, com experiência comprovada no que concerne à relação teatro-cidade. Entre eles Amir Haddad (Tá na Rua - RJ), Roberto Audio (Teatro da Vertigem – SP), Tânia Farias (Óinóis aqui traveiz – RS), Raquel ScottiHirson (Lume - SP), Tiche Viana (Barracão – SP), André Carreira (Experiência Subterrânea – SC), Francis Wilker Carvalho (Teatro do Concreto – DF) e Maria Rosa Marinho Menezes (Unilab - CE). 

Ainda como parte do processo empírico, atores baianos como Márcia Andrade, Tatiane Carcanhollo, Mirella Matos Sales, Ia Santaché, Amós Heber e o bailarino Dejalmir Melo foram convocados a participar de experiências práticas na cidade de Salvador como uma maneira de elaborar a metodologia necessária para se chegar a lugares-cênicos, contribuindo com o desenvolvimento da premissa de que o artista, ao deslocar seu corpo-lugar, se apropriando dos lugares através de intervenções viárias, pode produzir na cidade lugares-cênicos. Foram realizadas duas intervenções viárias em Salvador, aplicando e aprofundando processualmente a metodologia experimental desenvolvida. 

“Viver, ocupar, habitar e jogar com a cidade extrapola a ação artística no momento em que o artista, cidadão que é, inclui o público como parte integrante na construção dessa dramaturgia que precisa ser escrita a cada dia, a cada nascer do sol, valorizando o cotidiano como um fenômeno para a escrita de uma história partilhada por todos que ali vivem, no lugar” – conclui Marcelo. 



Serviço
O que: Lançamento do livro O Teatro que Corre nas Vias
Quando: 12 de dezembro de 2017 – das 17h às 20h
Onde: Palacete das Artes
Valor: Gratuito
Informações: 71 98823 2787 (Marcelo)/ 71 98824 2978 (Tatiane)
Para saber mais: