A REVISTA ÒMNIRA HOMENAGEIA O PROFESSOR GERMANO MACHADO




As inscrições para participar da publicação estão abertas até o dia 30 de dezembro

O saudoso professor, escritor e jornalista Germano Machado (1926/2017), que faleceu no dia 27/12/2017, será homenageado pela Revista de Literatura Òmnira, em uma edição especial dedicada ao reconhecimento do trabalho desse mestre, que influenciou gerações, principalmente com o Círculo de Estudo, Pensamento e Ação (CEPA). As inscrições estão abertas até o dia 30 de dezembro de 2018 e os interessados em colaborar com esse tributo, podem participar com artigos, poesias, crônicas ou qualquer outro gênero literário. Os textos não precisam necessariamente falar do professor, a temática é livre. Informações e valores do investimento podem ser solicitados através do e-mail: lealomnira@yahoo.com.br

A Revista de Literatura Òmnira tem como editor Roberto Leal, um dos mais dedicados discípulos do professor Germano Machado, que aproveita a ocasião para convidar amigos, cepistas, alunos, ex-alunos, colegas e simpatizantes do trabalho do jornalista, professor e filosofo Germano Machado, para coletivamente fazer uma justa homenagem a esta personalidade da cultura e educação da Bahia, que fez história com suas aulas, palestras, artigos e livros publicados. A União Baiana de Escritores (UBESC), entidade presidida por Roberto Leal, é umas instituições parceira das homenagens.

Germano Machado é escritor, formou-se na primeira turma de jornalismo da Universidade Federal da Bahia, fundador do Círculo de Estudo Pensamento e Ação (CEPA). Lecionou na Universidade Federal da Bahia – UFBA, na Universidade Católica de Salvador – UCSAL e na Escola Técnica Federal da Bahia. Foi membro da Academia de Letras e Artes “Mater Salvatoris”, Academia de Letras e Artes de Salvador, Academia Baiana de Educação, Grupo de Ação Cultural da Bahia, União Brasileira de Escritores – UBE, União Baiana de Escritores – UBESC, entre outras. Entre seus muitos livros destacam-se: Os Dois Brasis – Introdução ao Pensamento de Euclides da Cunha; A Verdadeira Revolução; Igreja Humana e Divina; Dimensões da Realidade Brasileira; Da Física da Matéria à Metafísica do Espírito; Um Glauber Inegável; Da Filosofia e do Filosofar: o sentido do viver humano; Tempo decorrido dentre muitos outros tempos. 

Revista Òmnira - A primeira edição da Revista Òmnira de 2019, já esta pronta e será lançada em janeiro. A publicação traz 32 páginas e homenageia o líder negro angolano Dr. António Agostinho Neto, tem capa do artista plástico angolano Kabú e conta com a participação de jornalistas, poetas e escritores de vários países: 23 de Angola, 13 do Brasil, um de Cabo Verde e um dos EUA. Os interessados em adquiri um exemplar, podem entrar em contato com o editor e fazer seu pedido e receber no conforto da sua casa, ao preço de R$ 17,00, para todo o Brasil, já incluso o valor do correio.



Serviço: 
O que: Inscrições para participar da Revista Òmnira em homenagem ao professor Germano Machado. 
Onde: Salvador
Quando: Até dia 30 de dezembro de 2018. 
Investimento: Cada autor participará com uma página na revista, com o investimento de R$ 400 (2 x R$ 200) e receberá 30 exemplares da publicação. (Consulte outros tamanhos, ½, ¼ de página, para participar da revista). 
Informações: 71 98736-9778 / lealomnira@yahoo.com.br 




ACONTECEU NO HOTEL DA BAHIA CURSO DE ORATÓRIA POR ANTONY ARROYO





Antony Arroyo ministrou ontem (15) o Curso de Oratória com ênfase em Espiritualidade no Hotel da Bahia.

Para alguns basta um livro, para outros um filme, outros um curso de algumas horas ou faculdade, a verdade, entretanto é que, a maioria irá para o tumulo, sem nunca perceber o seu verdadeiro potencial. Crenças limitantes. Convivência com pessoas “derrotadas”. Ignorância sobre temas como “objetivos”, “metas”, “desejo”, “superação”, entre outras, tolhem tua criatividade, mantendo-o inerte, escravo do “sistema” que, você permite ser prisioneiro. Reaja, saia deste “buraco” escuro, descubra a Luz que existe dentro de você e, voe, para a liberdade, como os pássaros na floresta. Lembre-se, só depende de você!

Com esse incentivo o professor Antony Arroyo ministrou ontem (15) o Curso de Oratória no Hotel da Bahia. , onde foram ensinadas, as técnicas de Oratória, expressões faciais, gestos, nuancem vocais e empatia.

O blog da gaivota esteve presente e registrou alguns desses momentos: 



























POR JUSSARA MARTA - TAURINO ARAÚJO DO BRASIL



Artigo da Jussara marta publicado originalmente em  
A TARDE, A2, 3 DE DEZEMBRO DE 2018






Da Livraria Terceiro Milênio, 
terapeuta, economista, empresária. 

Quero registrar aqui a minha felicidade e o meu orgulho nordestino e brasileiro em razão do lançamento de Hermenêutica da Desigualdade: uma introdução às Ciências Jurídicas e também Sociais de Taurino Araújo, CBJM.  Nesse sentimento, aliás, presente também se encontra a certeza de estar acompanhada por muita gente pensante que já escreveu sobre esta teoria, uma das poucas com abrangência mundial. Parabéns, Taurino Araújo do Brasil!



Diante desse monumento, as distâncias se aproximam e mesmo assim conservam doses bem medidas de abrangência e profundidade em um livro que, aparentemente, é apenas de Direito, mas logo dá conta das inquietações de todos nós, porque conforme demonstraria através de citação atribuída a Pierre Jaccard (p. 23) não “há nada no homem que seja tão especificamente individual ou social. Estes dois termos, como os de corpo e alma, não designam senão aspectos exteriores e passageiros de uma mesma realidade, que é a do homem que vive, pensa e sofre no meio de nós e que será necessário apreender no seu conjunto”.  E é também  isso que Taurino Araújo tece a todo tempo com as cutucadas filosóficas e, sobretudo,  com a sua fórmula de realidade, respostas na lei, perguntas e respostas na lei. Em bom juridiquês: realidade-dogmática-zetética-dogmática. O que a realidade nos diz?  Taurino vai respondendo a tudo isso ao longo do livro sem perder de vista os pontos de partida na lei e na Constituição, mas sem esquecer que o destinatário de tudo isso é mesmo o homem que “vive, pensa e sofre no meio de nós”.

O diferencial da obra, é esse enfoque no todo, no pensamento e nos problemas que afligem tanto a humanidade quanto os indivíduos em particular.  Por isso, Agenor Sampaio Neto fala de uma conjugação de fontes em Taurino Araújo tanto nos campos da Teoria do Direito, da Transpessoalidade, do Pensamento Sistêmico, da Criminologia, da História, da  Filosofia, da Cibernética e da Antropologia Jurídica  que sempre se mostraram eficientes para compreender a “holística” do drama humano, sem caber em classificações pequenas, mas somente a partir dos Campos Interdisciplinares por que Taurino passeia tão bem .

Sinceramente, não havia cogitado que, lendo um livro assim, pudesse compreender com tanta facilidade aquela história social e política do processo a que se refere José Reinaldo Lima Lopes (p. 142): “o caso é decidível? Existem regras aplicáveis? Os fatos podem ser considerados juridicamente relevantes?”.   Eu recomendo a leitura, vamos todos pensar sobre essas coisas e atribuir a cada criatura um lugar nesse mundo, “para o seu bem, para  o meu bem e para o bem de muitos”  como diria Bert Hellinger.