DO CÂNCER À FAMA DE GAY, REYNALDO GIANECCHINI CONTA TUDO EM LIVRO



Foram quase 50 horas de conversa com o artista e com atores, autores, diretores, médicos, parentes e amigos para Guilherme Fiuza escrever a biografia




Ser tema de uma biografia quando se tem 40 anos parece algo precoce, mas após a cura da doença em público, além de voltar ao batente, vivendo o Nando da novela Guerra dos Sexos (Globo/TV Bahia), o artista passou a ser sondado por editoras, até decidir.

“O motivo foi o escritor, Guilherme Fiuza. Sou muito fã dele, como jornalista. Tinha certeza de que ele ia fazer um trabalho magnífico. Fiquei curioso para saber como ele iria contar minha história e não me decepcionei”, explica Gianecchini, salientando que o escritor fez da sua história uma narrativa dramática, “como um filme”.

A narrativa de Fiuza rende realmente esta impressão, com trechos fragmentados e apresentados de forma não linear, desde a abertura, em pleno hospital, onde o intérprete que estreou na televisão como o Edu, de Laços de Família (2000), fazia os primeiros exames, sem prever sua saga.

Fiuza assumiu a missão de escrever o livro vindo de outros dois projetos no gênero biografia: Meu Nome Não É Johnny (que inspirou o filme) e Bussunda - A Vida do Casseta. Ele teve apenas quatro meses para tocar a obra, pego de surpresa pela proposta do editor Hélio Sussekind.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe, opine, colabore, construa. Faça parte desse "universo".