FORRO NO PARQUE ITINERANTE - ZELITO MIRANDA



Em seu oitavo ano o Forró no Parque, comandado por Zelito Miranda virou itinerante. No próximo dia 11 de junho é a vez do Museu de Arte Moderna, MAM, receber uma edição da festa. O evento acontece a partir das11 horas e terá Del Feliz como convidado. No dia, Zelito lança as canções “Forró Porreta” e “Outra Bahia”, ambas do forrozeiro e Rafael Junior. 

O espaço será transformado em um grande arraiá, com comidas e bebidas típicas, quadrilhas e claro, muito forró temperado. “O ambiente do Solar do Unhão é magico, é um dos principais cartões postais de Salvador, um visual de tirar o folego. Aconchegante e propicio para se curtir uma manhã de domingo”, disse Zelito Miranda.

Com músicas que abordam termas sociais, Zelito trará ao palco, as canções que estarão no seu novo CD e no repertório dos shows, que fará por todo Brasil, nas festas juninas de 2017.





O Projeto, iniciado no Parque da Cidade, fara seu quadragésimo terceiro evento, com sucesso absoluto. Foram mais de 50 convidados, de Zelito Miranda ao longo desses oito anos. Idealizado por Telma Miranda, o Forró no Parque, já chegou a receber mais de dez mil pessoas por dia.

Serviço

Projeto Forró no Parque
Zelito Miranda - O Rei do Forró Temperado
Convidado: Del Feliz
Data: 11 de junho de 2017 - (domingo)
Horário: às 11 horas
Onde: Museu de Arte Moderna - Contorno 






COPA BRASIL DE FUTEBOL DE MESA EM SALVADOR




De 15 a 18 de junho Salvador recebe a o 9º Brasileiro de Clubes e a 5ª edição da Copa do Brasil de Futebol de Mesa, na modalidade Liso 1 Toque.Integrando o calendário esportivo, a Copa do Brasil reúne atletas de diversos estados, promovendo grandes confrontos e fomentando o futebol de mesa para a sociedade. O evento, que acontece no Hotel Real Classic (Orla da Pituba, próximo ao Habbib's), pretende reunir mais de 300 atletas, em uma competição que promete agitar o cenário do Futebol de Mesa no país.

Contatos
Gabriel Mello - 99276-1608 (presidente da Federação Baiana de Futebol de Mesa).
Filipe Seixas - 99920-0643 (comunicação)

VEGETAIS INVADEM O PALACETE DAS ARTES PARA CELEBRAR O MEIO AMBIENTE





Uma das celebrações pela Semana do Meio Ambiente em Salvador será o lançamento do livro infantil Tomate, Pimentão e Cia, do jornalista baiano Antônio Moreno, no dia 10 de junho, a partir das 16 horas, no Palacete das Artes (Museu Rodin), na Graça. A publicação, que foi editada com apoio do Polo Industrial de Camaçari/Cofic, Instituto Fábrica de Florestas e Colégio Miró, narra as aventuras de vegetais ameaçados pela poluição de uma fábrica que decidem se unir para solucionar o problema. O lançamento vai proporcionar às crianças atração musical (grupo Corrupio), contação de história (Malamalatum) e até uma exposição educativa sobre vegetais orgânicos (La Poule). A entrada é franca. 

Serviço:
Lançamento do livro “Tomate, Pimentão e Cia”
Autor: Antonio Moreno
Ilustrador: Rex
Local: Palacete das Artes
Endereço: Rua da Graça, 289, Graça T. 3117-6987
Data: 10/06/2016
Horário: 16 horas
Entrada franca
Atrações: Grupo Currupio (música), Malamalatum (contação de histórias) e La Poule - vegetais orgânicos
Preço do Livro: R$30,00
Páginas: 30
Editora: Fábrica das Letras
Informações e vendas pelo email fleditora@gmail.com




FESTA LITERÁRIA DO SERTÃO ACONTECE EM JEQUIÉ



A Festa Literária Internacional do Sertão de Jequié – Felisquié, tem terceira edição entre os dias 02 e 04 de junho de 2017, pela manhã no Auditório Waly Salomão (UESB- Campus de Jequié )  e no período da tarde e da noite no Centro de Cultura ACM. Conhecida como Cidade Sol, Jequié vai ferver com palestras, debates, mesas redondas, exibição de filme, lançamento e exposição de livros, sarau de poesia e música e, especialmente, a primeira edição da Felisquiesinha, que reunirá autores, oficineiros  e público infanto juvenil para desfrutar de oficinas artísticas e literárias. Confira toda a programação gratuita (exceto show de Danilo Caymmi) e se inscreva no link informado abaixo. 

A terceira edição da Felisquié será aberta às 8h da manhã da sexta-feira, 2 de junho, com a conferência “A contribuição de Afrânio Coutinho para os estudos literários no Brasil”, que terá como conferencista o crítico literário Eduardo Coutinho, que vai desvendar o relevante trabalho para os estudos literários no Brasil do seu pai, Afrânio Coutinho, um dos homenageados da Felisquié. Outro nome celebrado é do poeta, compositor e cantor Tom Jobim (pelos seus 90 anos de nascimento) com a palestra “Caymmi visita Tom” (título de um LP), que será proferida pelo cantor e compositor Danilo Caymmi e o músico Davi Costa Mello na manhã do dia 3 de junho no Auditório Waly Salomão (UESB - Campus de Jequié). No mesmo dia à noite, no Centro de Cultura ACM, Danilo Caymmi fará um show com músicas autorais, do seu pai Dorival Caymmi e de Tom Jobim, que foi seu parceiro musical na Banda Nova. O espetáculo musical, que está sendo produzido pela Revista Cotoxó é a única atividade paga da terceira edição da Felisquié. “A ideia era fazer o show com entrada gratuita, mas não conseguimos patrocínio”, revela o escritor Domingos Ailton, curador da Felisquié, mas preços populares estão cobrados pelos ingressos: R$ 60,00 a inteira e R$ 30,00 a meia entrada. O cantor Nuno Menezes abrirá o show de Danilo Caymmi.
Show gratuitos com artistas de Jequié e Salvador serão oferecidos ao público da Felisquié. Na manhã do primeiro dia do evento se apresentarão os cantores Jonas Carvalho e Kátia Morbeck, os cordelistas José Walter Pires, José Carlos Vaz (Rocart Versal) e Tonho da Viola (que é também repentista), e os poetas Domingos Ailton, Milane Santos, Julia Barbosa Fernandes e Raíne Pereira Gomes; na noite o ator e apresentador Jackson Costa comanda o “Sarau do Poeta”, um espetáculo que conjuga música e poesia. Na tarde do sábado, 3, se apresentarão as cantoras Tânia Valverde e Brena Lima, o cantor Neubera Kudera e a atriz Tina Tude. Já no domingo, 3, o cantor Nuno Menezes entoa canções do Tropicalismo e vozes do povo de santo do Terreiro de Candomblé Ilê Axé Horomila cantam zuelas de orixás femininas. No período da tarde é a vez da poetisa Mariana Lima, da cantora  Sueli Morbeck e dos  sanfoneiros Antônio de Assis e Tribuna se apresentarem. O show Canto da Natureza, em comemoração à Semana do Meio Ambiente, encerra a Felisquié com apresentação da cantora Iana Rocha e dos cantores Fábio Haendel, Pablo Moraes e do sanfoneiro Deraldino Medeiros Neto. 

Além da homenagem a Tom Jobim, “outras homenagens serão feitas a nomes que contribuíram para o desenvolvimento literário e cultural da região de Jequié, da Bahia e do Brasil, a exemplo de Maria Lúcia Martins, Stela Câmara Dubois, Lindolfo Rocha, Carolina Maria de Jesus e Rodolfo Coelho Cavalcanti e aos 50 anos do Tropicalismo”, destaca Domingos Ailton, acrescentando que o tema da terceira edição é “O cangaço na Literatura de Cordel: do sertão para o mundo”.

Musa da teledramaturgia brasileira nos anos de 1990, a atriz Ingra Lyberato faz na noite do dia 2 de junho no Centro de Cultura ACM a palestra “O MEDO DO SUCESSO:  Revelações da vida pessoal e profissional da atriz Ingra Lyberato”, que escreveu livro confessional sobre os desafios que passou, diante do estrondoso sucesso das novelas Pantanal, Ana Raio, Indomada, O Clone e outros momentos de grande exposição nacional, e lança livro sobre sua trajetória artística.

Companheiro de exílio em Londres dos cantores Caetano Veloso e Gilberto Gil e parceiro do poeta tropicalista jequieense Waly Salomão, o também poeta, compositor e filosofo Antônio Cícero vai falar sobre “O Tropicalismo e a cultura brasileira” na manhã de domingo, 4 de junho, no Auditório Waly Salomão da UESB - Campus de Jequié.

Na tarde do dia 2 vai ser lançado no Centro de Cultura ACM o filme “Suspiro de um Trovador”, um documentário que conta a trajetória do  cordelista alagoano Rodolfo Coelho Cavalcante, e presta homenagem ao centenário desse imortal trovador brasileiro, que viveu um  período de sua vida em Jequié. Após a exibição do filme será realizada uma mesa redonda com o diretor e roteirista do filme, o cineasta Marcelo Rabelo e o filho do poeta popular, o também cordelista Isaias Cavalcante.  A III edição da Felisquié vai reunir, ainda, palestras dos professores Emerson Pinto de Araújo, Sonilda Sampaio, Maribel Barreto, Raquel Alves dos Santos, Dayse Sacramento e Luciano Santos; dos escritores Domingos Ailton, Mouzar Benedito e Aleilton Fonseca; dos cineastas Robinson Roberto e  Marilusa Barreto, do cordelista José Walter Pires e dos  editores Luiz Gonzaga, Manuella Cajaíba, Agenor Gaspareto, Roberto Leal e Valdeck Almeida de Jesus.
A Felisquié terá cenário com projeções mapeadas do artista visual Eldelsio Lima com ilustrações de Fefa Yanevisk.

A Felisquié conta com financiamento do Fundo Estadual de Cultura, através do Edital de Literatura da Funceb, Secretaria da Fazenda, Secretaria de Cultura e Governo do Estado da Bahia e  parceria das  Secretarias Municipais de Cultura e Turismo e de Educação da Prefeitura Municipal de Jequié de Jequié, do Núcleo 22 de Educação, da Revista Cotoxó,  da Benigno Produção e da Innovate Comunicação Digital.

Inscrição pode ser feita no www.felisquie.com.br ou enviando email para felisquieuesb@gmail.com





Programação da III Edição da Felisquié

Dia 02 de junho de 2017

8h – Conferência de Abertura
A contribuição de Afrânio Coutinho para os estudos literários no Brasil
Conferencista – Eduardo Coutinho – Professor Titular da UFRJ
Mediador – Raimundo Matos – Professor da UESB, escritor e membro da Academia de Letras de Jequié.

9h – Palestra – Trajetória de vida e produção poética   de Stella Câmara Dubois
Palestrante -  Sonilda Sampaio – Professora da UESB e membro da ALJ.
Mediador - Adilson Gomes – Poeta, membro da ALJ e professor da UFRB.

10h - Mesa Redonda - O cangaço na Literatura de Cordel: do sertão para o mundo (tema central da III Edição da Felisquié e celebração dos 100 anos do ABC dos Cauaçus e da batalha campal da cangaceira Anésia Cauaçu na Praça Rui Barbosa em Jequié.
Palestrantes –  José Walter Pires- Professor e cordelista  e membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel - Domingos Ailton – Escritor, jornalista, membro da ALJ,  professor e curador da Felisquié
Mediadora – Ana Sayonara Fagundes – Professora da UESB.

11h – Apresentações artísticas
Artistas -  Jonas Carvalho (cantor e compositor), Domingos Ailton (poeta), José Walter Pires  (poeta e cordelista), Milane Santos e Julia Barbosa Fernandes (poetisas e alunas do Colégio Navarro de Brito),   Raíne Pereira Gomes  (poetisa e aluna do Curso de Letras da UESB) e Kátia Morbeck (cantora).

14h- Palestra -  Mídias Paralelas:  Cordel e Quadrinhos
Palestrante – Sávio Roz – Historiador e quadrinista
Mediadora – Adriana Abreu – Escritora, professora da UESB, carioca e feminista.

15h – Exibição do filme Suspiros de um trovador

16h10 – Mesa Redonda sobre o filme, vida e obra de Rodolfo Coelho Cavalcante
Participantes – Marcelo Rabelo - Cineasta e Isaias Cavalcante - Cordelista
Mediador – Hayaldo Copque Fraga de Oliveira – Professor da UESB.

17h-  Áudio raro de treze imortais poetas brasileiros recitando seus poemas.
Apresentação - Robinson Roberto e Marilusa Barreto - Cineastas
Mediador – Anísio Assis Filho – Professor da UESB.

19h – Palestra - A poesia e a arte de Maria Lúcia Martins: campo de luz, olhares da vida
Palestrante -  Aleilton Fonseca – Escritor e professor.
Mediadora – Elem Pitombo – Professora e escritora.

19h40 – Lançamento do livro "O pêndulo de Euclides, romance da Guerra de Canudos", de Aleilton Fonseca.

20 – Palestra -  “O MEDO DO SUCESSO:  Revelações da vida pessoal e profissional da atriz Ingra Lyberato”, que escreveu livro confessional sobre os desafios que passou, diante do estrondoso sucesso das novelas Pantanal, Ana Raio, Indomada, O Clone e outros momentos de grande exposição nacional.
Palestrante – Ingra Liberato -  Atriz e escritora.
Mediador - Domingos Ailton – Escritor, jornalista, membro da ALJ,  professor e curador da Felisquié.

20h40 -– Lançamento do livro “O Medo do Sucesso”, de Ingra Lyberato
21h - Sarau do Poeta com Jacson Costa e convidados
Artistas - Jackson Costa (ator e apresentador),  Joaquim Carvalho (violão e voz), Eddie
Sant'Ana (violão, violino e craviola) e  Sidney Argolo (percussão).

Dia 03 de junho de 2017

8h- Palestra -  Literatura ficcional e consciência
Palestrante - Maribel Barreto - Pós-doutorado em Consciência, Transdisciplinaridade e Educação pela Universidade Católica de Brasília/Brasil, e Criatividade e Educação e Doutora em Educação pela Universidade de Brasília/UNB/Brasil, membro da ALJ.

9h –Palestra -  "Caymmi visita Tom" (Comemoração dos 90 anos de Tom Jobim)
Palestrantes – Danilo Caymmi – Compositor e cantor e Davi Costa Mello – Músico
Mediador – Domingos Ailton – Escritor, professor, membro da ALJ e curador da Felisquié.

11h Palestra -  A influência do tupi no português falado no Brasil.
Palestrante – Mouzar Benedito – Escritor e membro da União Brasileira de Escritores – UBE
Mediadora -  Luziêt Fontenele – Professora da UESB.

14h – Palestra -  A história do movimento literário em Jequié: da Sociedade Literária à Academia de Letras de Jequié – (Comemoração dos 20 anos da Academia de Letras de Jequié)
Palestrante – Emerson Pinto de Araújo – Historiador, professor e membro da ALJ.
Mediador – Júlio Lucas – Poeta e presidente da Academia de Letras de Jequié.

15 -  Lançamento e relançamento de livros dos autores Sandro Sussuarana, Valdeck Almeida de Jesus, Roberto Leal, Marcio Melo, Cristiano Conceição, Raiane Pereira Gomes, Rafael Pereira dos Santos, Domingos Ailton, Mauricio Bastos Almeida, Zilda Freitas, Raimundo Matos, Adriana Abreu, Ana Sayonara, Carlos Souza Yeshua, Robinson Roberto, Julio Lucas, Antonio Moreno, Márcia Auad, Dermival Rios e Márcia Rubia.

16h – Apresentações artísticas.
Artistas -   Tânia Valverde e Brena Lima (cantoras), Neubera Kudera (cantor) e Tina Tude (atriz).
20h – Show musical com  Danilo Caymmi (Evento paralelo da Felisquié)

Dia 04 de junho de 2017

8h – Palestra -  Lindolfo Rocha: O escritor, advogado  e líder da Emancipação Política de Jequié – (Comemoração dos 120 de Emancipação Política de Jequié)
Palestrantes – Emerson Pinto de Araújo – Historiador e Edelvito Nascimento – Professor e pesquisador
Mediadora – Marina Helena – Professora da UESB.

9h – Palestra - "O Tropicalismo e a cultura brasileira” (Comemoração dos 50 anos do Tropicalismo)
Palestrante – Antonio Cicero - Poeta, compositor e filósofo.
Mediador – Domingos Ailton – Escritor, membro da ALJ  e curador da Felisquié.

10h – Mesa Redonda -   A produção  literária das mulheres negras e a  poética de Carolina Maria de Jesus
Palestrantes – Raquel Alves dos Santos –  Pesquisadora e professora e Deyse Sacramento - Pesquisadora e professora.
Mediadora – Ivanildes Moura – Escritora e professora.

11h – Apresentações artísticas.
Artistas – Mãe Landa, filhos e filhas do Terreiro de Candomblé Ilê Axé Horomila.

14 –  Mesa Redonda - Como posso publicar um livro?
Palestrantes –Luiz Gonzaga – Diretor Geral da Empresa Gráfica e Editora da Bahia – EGBA, Agenor Gasparetto (Editora Via Litterarum), Roberto Leal (Editora Omnira), Manuella Cajaíba  (Edições UESB), Valdeck Almeida de Jesus ( Jornalista e editor)
Mediador – Carlos Souza – Jornalista e editor.

16 – Apresentações artísticas
Artistas - Mariana Lima (poetisa), Sueli Morbeck (cantora) e Antônio de Assis e Tribuna (sanfoneiros e cantores).

17h- Palestra – Aspectos   culturais da crise brasileira atual.
 Palestrante – Luciano Santos –  Professor de Filosofia credenciado no Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEDUC) da UNEB e Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

19h - Show de encerramento - O Canto da Natureza
Artistas –    Iana Rocha (cantora), Fábio Haendel e Pablo Moraes (cantores) e Deraldino Medeiros Neto (sanfoneiro).

As atividades ocorrerão nos três dias do evento pela manhã no Auditório Waly Salomão e no período da tarde e da noite no Centro de Cultura ACM. Oficinas artísticas e literárias ocorrerão na I Edição da Felisquiesinha como atividade paralela da programação oficial da Felisquié.

Acesse  www.felisquie.com.br

CILENE TINAUT - SAMBAS QUE MARCARAM ÉPOCAS


O show “Sambas que marcaram Épocas”, faz alusão a grandes nomes do samba, uma merecida homenagem ao nosso sempre enorme Jair Rodrigues, Martinho da Vila, Noel Rosa, Dona Ivone Lara, Beth Carvalho e tantos outros cantadores de encantos da nossa terra.

Fazendo um tributo ao ritmo que coleciona uma grande quantidade de prodígios musicais e que revitaliza através dos compassos as nossas raízes, Cilene Tinaut homenageia essa força motriz “O Samba”.

O projeto Sambas que marcaram épocas, traz na sua linha de raciocínio um quesito muito observado por todos pesquisadores do ritmo.

O Samba, que tem o retrato de uma união de toques, que foram desenvolvidos desde dos nossos ancestrais para motivar as danças feitas em aquecimento para lutas, caça e outros movimentos que exigiam condicionamento físico.

O ritmo ganhou graciosidade com os movimentos e os compassos harmônicos que se desenvolveram como condutor energético, dividindo assim o ritmo em vários estilos.

O repertório do Sambas que marcaram épocas, faz um desfile de vários sambas que levantam uma bandeira para cada estilo.

Com os clássicos desenvolvidos desde Noel Rosa, Ataulfo Alves, chegando a Roque Ferreira, Ederaldo Gentil, Roberto Mendes, Zeca Pagodinho , Alcione e outros. A variedade do repertório obedece a ordem crescente dos estilos de samba com as suas cadências próprias.






Cilene Tinaut, soteropolitana, com uma longa trajetória com a música, começa sua carreira ainda na infância, cursando 12 anos de conservatório de música e tornando-se instrumentista atuando em concertos em diversos lugares. Durante a caminhada descobriu um enorme prazer em cantar quando identificou que assim teria disponível duas linguagens acopladas num só movimento para se comunicar com as almas dos ouvintes. Tendo como referência a música Negra Americana, iniciou uma pesquisa sobre a origem do blues, jazz tornando-se uma apaixonada pelo improviso nas melodias, sem mexer na roupagem dos arranjos originais. Mantendo as claves dos mesmos, o que foi um verdadeiro incentivo para desenvolver um trabalho com sambas.

REDE SOMUS LANÇA “ÁFRICAS NA GENTE - FESTIVAL DE MÚSICA NAS ESCOLAS”




“Áfricas na Gente” é um projeto de democratização cultural, musicalização e cultura afro-brasileira criado pela “Rede Somus - Música Bahia”, aprovado no Edital Setorial de Música pela SECULT/BA. Esta ideia tem o respaldo das leis nº 10.639/03 e 11.769/08, e realizará festivais de música com atividades de arte educação em 20 escolas públicas estaduais de Cajazeiras e entorno, na cidade de Salvador/BA. O projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural e Secretaria de Cultura da Bahia e será realizado durante o segundo semestre de 2017. O lançamento ocorrerá no dia 22 de maio, das 15h30 às 18h30, no Espaço Xisto Bahia, nos Barris, onde terá Roda de Conversa com Vovó Cici e Mateus Aleluia com acesso ao público no sistema “Pague Quanto Quiser”.




O projeto “Áfricas na Gente - Festival de Música nas Escolas” tem como propósito maior enaltecer a cultura afro-brasileira e trazer reflexão sobre a importância do povo negro para a nossa cultura. Propõe a todos os envolvidos um mergulho em seu próprio cotidiano para descobrir e valorizar a influência afro cultural em suas vidas. Com isso também busca fortalecer a relação de pertencimento das crianças e jovens com seus ancestrais.

Neste projeto a “Rede Somus” apresentará aos jovens parte de seus artistas que passeiam por diversos estilos musicais para despertar conhecimento e novas possibilidades de enxergar o mundo. Para isso, além dos shows musicais, também acontecerão oficinas artísticas e rodas de conversa.

O projeto ocupará cada escola durante 01 dia com 08 oficinas (ex: quadrinhos; canto; iniciação a teoria musical; som, ritmo e movimento; contrabaixo básico; criação de histórias; rádio web e violão básico), uma Roda de Conversa sobre Cultura Afro-brasileira com um estudioso da área e shows com artistas da Rede Somus.

O show de abertura do “Áfricas na Gente” para a comunidade de Cajazeiras está previsto para o dia 08 de julho, na Praça Regina Guimarães – Fazenda Grande III. Os festivais nas escolas (com oficinas artísticas, rodas de conversa e shows) serão realizados entre os meses de julho a novembro. Já o encerramento do projeto culminará em um grande show no Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras com o lançamento da coletânea musical de artistas de Rede Somus, no dia 25 de novembro.

SAIBA MAIS
Lei 10.639/03- alterada pela Lei 11.645/08, que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas, públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio.
Lei 11.769/08- que torna a música conteúdo obrigatório do componente curricular em todas as escolas, públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio.
Vovó Cici- Nanci de Souza Silva. Ebomi Cici de Oxalá. Vovó Cici - No Espaço Cultural Pierre Verger, Vovó Cici trabalha com crianças em situação de alto risco e com pesquisadores da cultura afro-brasileira. Já se apresentou em diversas cidades brasileiras e também fora do Brasil, como em Cuba, França e nos Estados Unidos, com suas contações de histórias. Trabalhou durante muito tempo com o fotógrafo Pierre Verger, fazendo legenda para 11 mil fotografias ligadas à cultura afro-brasileira e a Benin, Togo, Gana, Nigéria e África do Norte.
Mateus Aleluia- (nascido em Cachoeira) é um cantor e compositor brasileiro, remanescente da formação original do conjunto musical Os Tincoãs.
Rede Somus- A Rede Somus é um grupo colaborativo com cerca de mil profissionais criado em 2014 que busca a criação de novas oportunidades de atuação no setor cultural, e aspira formar plateia para os diversos estilos musicais realizados e movimentar o cenário musical da Bahia.

Por que Cajazeiras? Cajazeiras é um conjunto habitacional de Salvador, na Bahia, com 600 mil habitantes e intenso comércio. Foi o primeiro bairro planejado de Salvador. É o segundo bairro mais habitado de Salvador (atrás de Brotas), e também o segundo em população de etnia negra (atrás de Pernambués). É considerado o maior bairro da América Latina, computando os outros setores que fazem parte do bairro, o que não é unanimidade. Compõe-se dos setores: Cajazeiras 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 10 e 11, Fazenda Grande 1, 2, 3 e 4, Águas Claras e Boca da Mata. A relevância deste projeto é destinar as ações para as escolas estaduais da região de Cajazeiras e assim dar acesso a esta comunidade aos bens culturais, pois sabemos que apesar dos esforços públicos e privados de levar projetos artísticos para esta região, o acesso desta população a espetáculos, shows, lançamentos de livros, oficinas de artes, entre outros ainda é escasso.




SERVIÇO
*LANÇAMENTO DO PROJETO COM RODAS DE CONVERSA com o tema “Áfricas na Gente”.
Data: 22 de maio (segunda-feira)
Local: Teatro Xisto
Horário: 15h30 às 18h30
Ingresso: “Pague Quanto Quiser”

*SHOW DE ABERTURA DO PROJETO
Data: 08 de julho (sábado)
Local: Praça Regina Guimarães- Fazenda Grande III, Cajazeiras
Horário: 15h

*FESTIVAIS NAS ESCOLAS, DE JULHO A NOVEMBRO

*SHOW DE LANÇAMENTO DA COLETÂNEA
Data: 25 de novembro (sábado)
Local: Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras
Horário: a definir





Dayanne Pereira
Coordenadora de Comunicação
(71) 9 -8737-3857 / 9-9633-8394
conectadacomunicacao@gmail.com

MÃE - ANTÔNIO FRANCISCO CÂNDIDO




MÃE:
Pensei, pensei em mil maneiras,
De como falar de você!
Como não sou poeta,
Atrevi-me a escrever estas simples palavras:
Mãe, que tem o coração maior que o mundo,
Reza, cuida e pensa nos filhos,
Com dedicação, carinho e amor profundo.
Mãe, que mesmo recebendo ingratidão...
Não mede esforços para o filho ajudar,
Seja em casa, no trabalho ou em qualquer lugar.
Mãe, que está sempre pelo filho a rezar,
O amor de mãe é profundo,
Não temos como medi-lo,
Basta ver o filho aborrecido...
Já está ela a consultá-lo.
Mãe, vinte e quatro horas por dia,
Filho, que muitas vezes lhe dá as costas.
Mãe, que pelo filho sofre, padece e chora,
A seu dispor não tem dia, minutos ou hora.
Mãe: seu amor transcende gerações,
Amor igual ao seu,
Somente o do Supremo Criador.





Antônio Francisco Cândido. Servidor Público Municipal – Prefeitura Municipal de Pouso Alegre – MG – Casa da Cultura Menotti Del Picchia.

E-mail: candidok1917@gmail.com

LINDINALVA SILVA LANÇOU - A SAGA DO JUDAÍSMO E A CRIAÇÃO DA NOVA RELIGIÃO CRISTÃ - MAB


Clica na foto para ampliá-la

Lindinalva Silva

Lindinalva Silva lançou quinta-feira (11) o seu primeiro livro: 'A Saga do Judaísmo e a Criação da Nova Religião Cristã’. O evento aconteceu no Museu de Arte da Bahia (Corredor da Vitória).

A autora iniciou a programação ministrando uma palestra sobre o tema da sua obra. Em seguida os músicos convidados expressaram adoração ao Deus de Israel com canções sacras seguidas por violão e apresentação da flauta doce.

Lindinalva prendeu a atenção do publico presente apresentando o  seu primeiro livro abordando temas do povo Judeu demonstrando sua paixão pelo Judaísmo e o seu conhecimento após anos de pesquisas e estudos e visita a Terra Santa, Israel.

Para ornamentação do local, além da Bandeira de Israel, tinha um altar com símbolos de peças representativas da cultura desse povo. 

Logo após, aconteceu o momento de autógrafos.  

A autora e os seus amigos leitores finalizaram o evento ao som da flauta doce de Glória Lemos e os violonistas convidados envolvendo todo o ambiente com a coreografia da dança Judaica. 


Assessoria: Lucymar Soares
71 – 99202-5745 (TIM – WhatsApp )



Lindinalva Silva