RELAÇÃO ENTRE AÇÚCAR E CÂNCER



Células mutantes gostam de açúcar. E agora sabemos por quê.



Em 1931, o médico alemão Otto Heinrich Warburg levou o prêmio Nobel de Medicina por uma descoberta inusitada: células cancerígenas gostam (muito!) de açúcar – e, nos períodos em que o tumor cresce rapidamente, digerem a substância até 200 vezes mais rápido que células normais.

Em 2017, após nove anos de pesquisas, cientistas da Universidade Católica de Leuven, na Bélgica, finalmente descobriram porque isso acontece. “Nossa pesquisa revela como o consumo hiperativo de açúcar por células cancerígenas leva a um ciclo vicioso de estímulo do crescimento e desenvolvimento do câncer”, afirmou um dos colaboradores, Johan Thevelein, em comunicado. “Ou seja: nós conseguimos explicar a correlação entre a força do fenômeno descoberto por Warburg e a agressividade do tumor.”

Mas qual é, afinal, essa correlação?

 Veja aqui o restante da materia:




BLOG DA GAIVOTA - ENTREVISTA AUDELINA MACIEIRA




A escritora Audelina Macieira, se prepara para lançar o seu mais novo livro  ‘ O Abraço da Esperança’ e, na oportunidade, conversamos um pouco com a  poeta, mãe, esposa, professora. 
‘O Abraço da Esperança’ que, aborda a vida humana, os sentimentos que envolvem o cotidiano das pessoas em textos de cunho filosófico e poéticos e pretende levar o leitor a refletir o seu cotidiano.

Blog da Gaivota:  Quem é Audelina Macieira?
A.M: Audelina Macieira: Uma mulher, irmã, esposa, mãe de três lindos filhos, poetisa e professora por formação.   Vivo no mundo desempenhando vários papéis, buscando conhecer o melhor para mim e o mundo ao meu redor, com fé e inspiração. Sou um pouco de tudo; quando escrevo, sou plena em liberdade e em poesia.

B.G: Onde  você nasceu? 
A.M: Nasci em Cachoeira/Ba. 

B.G: Há quanto tempo mora em Salvador?
A. M: Há 35 anos.

B.G: Qual sua formação acadêmica?
A. M: Especialista em Neuropedagogia e Psicanálise.

B.G: Quais atividades profissionais você já desenvolveu?
A. M: Fui professora na Educação Infantil, na Educação Fundamental, da prefeitura de Salvador e coordenadora administrativa de ensino e pesquisas.

B.G: No momento, além de escrever, você tem outra atividade?
A. M: Servidora do município Salvador.

B.G: O que marcou a vida de Audelina Macieira?
A.M: Muitos fatos foram marcantes em minha vida, mas, um em especial foi negativamente marcante, a morte de minha mãe, eu tinha 08 anos de idade e dali por diante eu já era uma pessoa... uma criança amadurecida, já tinha encerrado minha infância, pulei fases e sentia um ser com responsabilidades de adulto, o tempo todo. Porém as heranças deixadas me fizeram refazer o tempo inteiro. Depois, a morte do meu irmão Jaconias, tão jovem e cheio de vida; foi ele que descobriu minha aptidão para escrever poesias.  Eu tinha 12 anos quando, ele me deu de presente um livro, ‘Fernão Capelo Gaivota’ (e hoje, aqui dando entrevista a você, Gaivota... srsrs), e depois ele me disse que eu tinha que escrever com responsabilidade, me dedicar, mas eu não entendia, só depois de alguns anos foi que tomei posse destas palavras. E por fim, me tornar mãe, passei pela maternidade três vezes e isso também muda concepções e o mundo gira em um grau que te faz parar e repensar todo processo da vida.

B.G: De onde vem o dom da poesia?
A.M: Vem de certa forma,  como herança genética; nasci de uma mulher que escrevia versos, embora jamais tivesse publicado os seus textos, mas deixou um segmento, uma razão para que tudo fosse encaminhado com sucesso na vida de seus filhos. Para ela a poesia era mais que um ato de escrever era um acalento. Também considero que tudo em nossa vida deve ter razão e sentido. A poesia vem acompanhada de histórias antepassadas. 

B.G: Qual o seu maior incentivador para continuar produzindo?
A.M: Deus em primeiro lugar, meu marido  Aguinaldo Barbosa Dos Santos e minha  irmã Maria Clara Macieira, além, dos meus leitores. 

B.G: Qual o seu estilo literário?
A.M: Poesia

B.G: Sobre quais temas você mais recebe inspiração?
A.M: O cotidiano, Filosofia e romance. 

B.G: Você só escreve quando recebe a inspiração ou gosta de se “provocar”?
A.M: Geralmente, por inspiração, mas ocorrem provocações, também.


B.G: Você escreve para você ou pensa no leitor nesse momento? Conte-nos como isso funciona!
A.M: De início, escrevo sem compromisso, porém, os versos “tomam” vida e livremente invadem os corações de quem os lê.

BG: Inicialmente, você se inspirou em algum escritor? Com quais nomes da Literatura seus textos se identificam?
A.M: Quando comecei a escrever, eu tinha apenas 07 anos de vida; acredito que a inspiração surgiu da relação entre o papel e o lápis , pois não tinha conhecimento sobre o que era poesia para o mundo. Aos 12 anos, comecei a ler poetas como Cecília Meireles   e Castro Alves. Nessa idade, estudava no colégio Diocesano, em Vitória da Conquista,  e me levaram para ter o registro de “artista da Terra”, no Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima. Aos dezessete anos, publicava meus textos no Informativo Cultural de Feira de Santana. Nesta época que descobri Carlos Drummond de Andrade, li A Rosa do Povo e me apaixonei. Aos 30 anos, comecei a ler poesia internacional: John Donne, Pablo Neruda e Allan Poe. Hoje, o meu espírito nacionalista pede leituras de Adélia Prado, Manoel de Barros, Bandeira, João Cabral de Melo Neto, Mário Quintana, etc. Acredito que minha inspiração provenha do ambiente familiar, por causa de minha mãe, e sua fluição do amadurecimento de minhas vivências literárias. 

B.G: Você tem predileção por uma de suas obras? Com qual delas você mais se identifica e por quê?
A.M: A Morte, é um texto marcante; A Velha Dona Florzinha é um conto infantojuvenil que retrata muito da minha infância; Casamento é um poema incrível que fala de separação.

B.G: Normalmente, qual o tempo para você concluir um livro? Você planeja ou deixa acontecer? Como isso se processa?
A.M: O tempo não concorre com as poesias, então elas nascem sem quaisquer compromissos, livres como o surgimento das nuvens no céu. Porém,
a autora a serviço dessa autoridade fica em processo de construção que pode durar horas, dias ou anos. O Coração Amargo em Flor levou três anos para ser concluído; O Abraço da Esperança levou cinco anos; Meu Pensar levou dez anos.

B.G: Você faz alguns investimentos em eBooks? Você acha que, com a evolução da tecnologia no âmbito da Literatura, eles constituem ameaças ao livro impresso?
A.M: Ainda não editei eBooks, mas participei de duas antologias nesse formato. Não acho; acredito que os dois se complementam sem que o impresso perca espaço.

B.G: Qual a visão que você tem do escritor independente?
A.M: A melhor possível: a de um lutador paralelo cujo objetivo é manter a literatura acessível a todos. E os talentos estão por aí, precisando apenas de uma oportunidade.

B.G: Você costuma concorrer a editais? Você acredita no processo? Algo, em relação a isso, lhe incomoda? Em sua opinião, o escritor baiano recebe incentivo do governo (municipal, estadual e federal) suficiente para desenvolver suas obras?
A.M: Não participo de editais. Alguns escritores, inclusive que são meus colegas, recebem ajuda do governo para realizarem alguma atividade literária. Eu, ao contrário, nunca fui beneficiada por meio de editais.  Sempre financiei meus livros com o meu salário de professora. Fico imensamente triste, às vezes, pois, recentemente, me inscrevi para participar de um projeto que não envolvia remuneração alguma e não fui classificada. Pode ser uma bobagem, mas apenas os mesmos de sempre foram classificados. Sinto desprezo total por quem está por trás destas ideias de favorecimento de selecionados baseadas em “panelinhas” sujas. A Secretária de Cultura do nosso Estado divulga
editais que visam atingir a todos, sem distinção, mas nunca funciona como se espera.  A Acadêmia de Letras da Bahia e seus acadêmicos limitam o acesso do escritor independente aos salões nobres, de modo que o sonho de um apoio se torna em pesadelo.  Mas não devemos perder a esperança: um dia, o talento vencerá.

B.G: Já ganhou algum prêmio ou edital? Em caso afirmativo, quais e quando?
A.M: Sim. Ganhei quatro: de redação quando escrevi o texto O Brasil Mudou, em 1988, pelo Intercolegial; Poetisa destaque pela Almas e Literarte, em 2015; Prêmio Federico García Lorca, em 2015, pela poesia A Morte; e, por fim, Menção Honrosa por A Velha Dona Florzinha, pela Helvetia edições Literárias.



BG:  Quais das suas obras foram publicadas? 
A.M: O  livro “Coração Amargo em Flor”, publiquei  textos em: Movimento  Artpoesia, Cepa Cultural, Informativo Cultural, Revistas Banzeiro, Revista Omnira , Varal do Brasil,   Revista Pense Maiss e antologias:
Antologia Mundo – Poesia – Editora Cogito, 2014.
Antologia Poética o diferencial da Favela. Galinha Pulando.2014
Antologia  Poética Focus, Poesias – Editora Cogito, 2013.
Antologia Poética Cogito- Poesias, Editora Cogito, 2014.
Antologia Premium VIII, Poesias e Textos. Editora Books, 2015.
Antologia Poética Cogito- Poesias, Editora Cogito, 2º volume. 2015.
Antologia Internacional 13 – Poesia – Editora Òmnira, 2013.
Dicionário de Escritores Contemporâneos da Bahia ( Idealizador Carlos Yeshua)  Editora CEPA. 2015
Heranças Luso-Espanholas, Obra Bilíngue, Editora Comunicação, 2015.
Incertezas e suas Fragilidades, Vol. II – Poesia – Ed. Scortecci, 2014.
Interfaces de Amor e Paz, Antologia Cappaz , 4º Volume.2013.
Interfaces de Amor e Paz, Antologia Cappaz. 5º Volume. 2015.
Literarte Celebra Bahia- Contos Editora Literarte, 2015
Letras Contemporâneas – Poesia – Editora Òmnira, 2012.
Palavras Desavisadas de tudo– Poesia – Ed. Scortecci, 2013.
Prêmio Valdeck Almeida de Jesus – Crônica, 2012.
Premio Valdec Almeida de Jesus- Poesia,2013.
Sensações Facebook- Poesia ( Alma Brasileira) 2013, 
Grandes Autores, Editora Cogito
Sensações FaceBook ( Alma Brasileira)  Conto – Editora Cogito, 2º Volume. 2014.
Solilóquio-Crônicas, Editora Cogito e Blog da Gaivtoa,  2015.
Varal do Brasil III – Poesia, 2013.
Antologia Memórias ( Blog da Gaivota) Editora Agilite Publicações e Interatividade

BG: O que mais lhe motiva a continuar a produção literária?
A.M: Os leitores.

B.G: Como foi a sua infância? Ainda tem os mesmos sonhos infantis? Realizou alguns dos sonhos da Audelina adolescente? O que marcou sua vida na infância? Isso contribuiu de que forma para a vida adulta? 
A.M: Minha infância foi muito abençoada lá em Cachoeira. Minha mãe era minha professora e meus irmãos mais velhos, Maria Clara e Jaconias, brincavam comigo no lindo quintal. Sou a caçula de uma prole de oito filhos. Sonhava ser cantora, de modo que brincava de cantar na frente de minha casa. Realizei quase todos os sonhos da adolescência, como: encontrar um grande amor, ser professora de crianças e ter filhos. Acredito que muitos fatos marcaram minha vida, em especial a morte de minha mãe e depois de meu irmão Jaconias. Foram fatos tristes, mas que tive de superar e retirar da saudade o acalento para alma.

B.G: Quais as suas preferências culturais?
A.M: A dança, a música, o teatro e a fotografia, pois todos são partes da poesia.

B.G: Quais são seus planos como escritora?
A.M: Editar todos os livros que escrevi e vou escrever.

B.G: Quantos livros já lançou? Quais são eles?
A.M: Faço parte de mais de trinta antologias e tenho três livros solo: Meu Pensar, Coração Amargo em Flor, e O Abraço da Esperança.

B.G: Quantas obras você tem para lançar e quais são elas?
A.M: Em março de 2017, lançarei O Abraço da Esperança. Em 2018, Pobre Mulher Feminina Nordestina.

B.G: Você pretende lançar mais algum livro neste ano? Qual? E que tema você abordará nessa obra?
A.M: Sim, ‘O Abraço da Esperança’ que, aborda a vida humana, os sentimentos que envolvem o cotidiano das pessoas em textos de cunho filosófico e poéticos e pretende levar o leitor a refletir o seu cotidiano. O livro trás uma crônica sobre a Esperança e em seguida letras invadem a alma do leitor que mergulha na sensibilidade de Poemas como: Não tenho, “Breve é a vida não tenho a eternidade tenho o dia de hoje". O Abraço da Esperança fala ao coração e o toma em versos que o expõe e que sugere ao leitor, uma viagem longa à poesia do movimento que é a própria vida.

B.G: Já tem data e local do lançamento do seu livro , 'O Abraço da Esperança'?
A.M: Sim, pretendemos lançar do dia 24 de março no Gabinete Português de Leitura. Logo estaremos enviando convites aos nossos amigos,  familiares e novos leitores que esperamos conhecer pessoalmente na noite do lançamento. 

B.G: Resuma Audelina Macieira em uma frase:
A.M: Amor na alma e fé no coração.


Fotografia: Lena Filha

WHATSAPP DEIXA APAGAR MENSAGENS QUE VOCÊ SE ARREPENDEU DE ENVIAR







Função finalmente começou a ser liberada no aplicativo


O WhatsApp começou a liberar uma função que permite apagar mensagens que você se arrependeu de enviar em uma conversa.
Liberado aos poucos nos aplicativos para Android e iPhone, o recurso funciona com mensagens enviadas até sete minutos atrás.
Para usar a novidade, basta tocar sobre a mensagem enviada que você deseja apagar e selecionar a opção “apagar para todos”.
Não se sabe quando o WhatsApp Web, a versão para uso em computadores, ganhará o recurso.



VALDECK ALMEIDA DE JESUS LANÇA LIVRO NA PATUSCADA EM SÃO PAULO



A Editora Patuá e o Patuscada - Livraria, bar & café convidam a todos para o lançamento do livro Trilhos de Minha Trilha, poemas de Valdeck Almeida de Jesus. O evento será realizado no dia 28 de outubro de 2017 (sábado) a partir das 19h no Patuscada - Rua Luís Murat, 40 Pinheiros/Vila Mariana - São Paulo-SP.

A entrada para o evento é gratuita e o exemplar estará à venda por R$ 38,00 (pagamentos em dinheiro e cartões de débito e crédito).

O conceito do livro é de Davi Nunes; editor Eduardo Lacerda; capa, projeto gráfico e diagramação de Rodrigo Sommer; Geilson dos Reis prefacia a obra e a ela se refere assim: "O livro Trilhos de minha trilha é um convite a uma viagem subjetiva que a cada estação uma chegada, anuncia e inicia-se uma nova partida, onde não desejamos chegar a um fim. Já na saída nos envolvemos nos Traçosdesses caminhos da vida e vai tecendo o pensamento poético do objetivo concreto e em palavras forçosas consegue nos fazer saber que já estamos partindo nessa viagem turva onde tudo se esclarece e se escurece a cada rima".

Valdeck Almeida faz um resumo do seu livro: "A vida pode ser vivida de forma singular, egoísta, ou pode ser compartilhada, dividida entre lutas, sonhos, utopias. A poesia que tento construir nesta obra literária é a segunda opção de vida: aquela em que as batalhas e conquistas, bem como as derrotas e choros são de todos. Trilhos de minha trilha demonstra esta caminhada, tentativa, de estar junto, de ser o ombro amigo e de também ser acolhido no ombro disponível. Leitor e leitora poderão trilhar seus próprios caminhos durante a leitura, numa verdadeira viagem em busca de uma sociedade mais justa, igualitária, democrática. Pegue seu vagão!"

O autor: Valdeck Almeida de Jesus é escritor, poeta, jornalista, ativista cultural e mecenas do Prêmio Galinha Pulando de Literatura desde 2005. Autor de mais de 20 livros, coautor de 150 antologias, tem textos publicados em inglês, português, italiano, alemão, holandês, francês e espanhol. Membro-fundador da União Baiana de Escritores – UBESC e do Fala Escritor (2009), participa de academias de letras e associações de artistas da palavra. Frequentador do Sarau da Onça, Sarau do Gheto, Sarau da Paz, Sarau do JACA, Sarau da Raça, Sarau Urbano e outros, todos na periferia de Salvador-BA, o poeta se alimenta desse caldeirão de palavras e rimas, troca experiências e dá sua contribuição à cena literária baiana.
-------------------------------------------------------------------------------------------


SERVIÇO
O quê: lançamento do livro "Trilhos de minha trilha", de Valdeck Almeida de Jesus
Quando: 28 de outubro de 2017, às 19hs
Onde: Livraria e Bar Patuscada - Rua Luís Murat, 40 Pinheiros/Vila Mariana - São Paulo-SP.
Quanto: entrada gratuita
Livro: R$ 38,00
Contato para entrevista: 71 99345 5255 - Valdeck Almeida de Jesus





PARADA DO LIVRO DA BAHIA 2017 - 26.10 - CAMPO GRANDE/SALVADOR/BA


Clique na foto para ampliá-la

Acontece em Salvador, dia 26.10.2017, das 9 às 16:30hs, na Praça do Campo Grande, a quarta edição da Parada do Livro. Na Parada do Livro de 2017, há também atrações muito interessantes e já consolidas desde a 1ª Edição da Parada do Livro, no ano de 2014: Tenda dos Escritores onde poetas, romancistas, contistas, cordelistas e demais artistas da palavra apresentam trabalhos autorais e dialogam com seus pares e com o público; contação de estórias. Confira ao final a lista de poetas já confirmados para recitar.

A Parada do Livro 2017 é uma ação de distribuição de livros desenvolvida pelo Plano Municipal do Livro, da Leitura e da Biblioteca – PMLLB de Salvador, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo - SECULT, Secretaria Municipal de Educação - SMED, Fundação Gregório de Matos - FGM, Secretaria Municipal da Reparação - SEMUR, Conselho Regional de Biblioteconomia - CRB-5, Universidade do Estado da Bahia -UNEB, UNIFACS - Universidade Salvador, Universidade Católica do Salvador - UCSAL, Centro Universitário Jorge Amado -UNIJORGE; Instituto de Ciência da Informação - ICI/Ufba; Faculdade Social da Bahia - FSBA; SUP - Sociedade Unificadora dos Professores, e outras instituições públicas e privadas afeitas à causa do livro e da leitura.

Ressalte-se que todos os livros expostos passam por uma ação de curadoria da qual participam universitários das instituições parceiras.

A 4ª Edição Parada do Livro integra-se às comemorações da Semana Nacional do Livro e da Biblioteca e caracteriza-se por distribuição ao público presente de livros colhidos através de doação nas instituições parceiras através da campanha Livro Usado, Livro Vivo! 

Os livros estarão expostos em stands organizados por tema: 




Literatura Infantil;

Literatura Infanto-Juvenil;

Literatura Baiana;

Literatura Nacional;

Literatura da Cultura Popular;

Literatura Internacional;

Literatura Jurídica;

Literatura Técnica e Científica;

Literatura da Área das Ciências Biológicas;

Literatura da Área das Ciências Humanas;

Literatura das Artes;

Literatura das Filosofias;

Literatura Religiosa;

Literatura para Concurso.


Tenda dos Escritores - Curadoria Valdeck Almeida de Jesus
Poetas e poetisas já confirmados/as para o recital:

09:00
  Vinícius Araújo  
09:10
  Renildo Santos  
09:15
  Gil Barreto  
09:20
  Carlos Alberto Barreto  
09:25
  Geilson dos Reis  
09:30
  Lázaro Silva – Miqueias Santos  
09:35
  Maria José Matos  
09:40
  Bismarck  
09:45
  Deco Lima  
09:50
  Joedson Alves  
09:55
  Evanilson Alves  
10:00
  Davi Nunes  
10:05
  Cristiano Souza  
10:10
  O Velho Viajante  
10:15
  Marcos Paulo Silva  
10:20
  Evandro do Espírito Santo  
10:25
  Tiago Oliveira Nascimento  
10:30
  Semírames Sé  
10:35
  Marcos Peralta  
10:40
  Estrela Rocha  
10:45
   
10:50
   
10:55
  Cássio Jônatas  
11:00
  Jairo Pinto  
11:05
  Iramaia Santana  
11:10
   
11:15
  Michelle Saimon  
11:20
  Vera Passos  
11:25
  Rosana Paulo  
11:30
  Jorge Baptista Carrano  
11:35
  José Abbade  
11:40
  Anderson França  
11:45
   
11:50
   
11:55
   
12:00
  Renata Rimet  
12:05
  Ivan de Almeida  
12:10
   
12:15
   
12:20
   
12:25
   
12:30
   
12:35
  Elisenilda Cristina de Almeida  
12:40
  Adna Raul  
12:45
  Adao Cunha  
12:50
  Vanise Vergasta  
13:00
  Audelina Macieira  
13:05
  Lislia Ludmila  
13:10
  Samuca Koala e Coletivo Nosso Palco  
13:15
  Fabrício Britto  
13:20
  Josué Ramiro Ramalho - birth  
13:25
   
13:30
  Emerson Bulcão  
13:35
  Andrei Williams  
13:40
  Anajara Tavares  
13:45
  Chico do Crato  
13:50
  Carlos Leleco  
13:55
  Vânia Melo  
14:00
  David Alves Gomes / Lidiane Ferreira  
14:05
  Cymar Gaivota  
14:10
  Conceição Castro  
14:15
  Anderson Shon  
14:20
  Evandro do Espírito Santo  
14:25
  Pedro Lucas  
14:30
  Paulo Balôba  
14:35
  Milica San  
14:40
   
14:45
  Tainá Almeida  
14:50
  Luiz Menezes  
14:55
  Rita Pinheiro  
15:00
  Varenka de Fátima Araújo  
15:05
   
15:10
  Maia Pedro  
15:15
  Rosângela Muniz  
15:20
  Everton Lima  
15:25
  Diana Manson  
15:30
  Aylla Campos  
15:35
  Rodrigo de La Rocha  
15:40
  Yuna Sant’ana  
15:45
  Rafael Pugas  
15:50
  Artur Soar  
15:55
  Iara Villanueva  
16:00
  Thiago Zion  


SERVIÇO:
O quê: 4ª Edição da Parada do Livro 2017
Quando: 26.10.2017, das 9 às 16:30hs
Onde: Praça do Campo Grande, Centro - Salvador-BA
Quanto: Gratuito



O CORRUPTO VOLTA AO TEATRO EVA HERZ







ELE VAI FAZER DELAÇÃO PREMIADA !
O CORRUPTO VOLTA AO TEATRO EVA HERZ E JOGA TUDO NO VENTILADOR !

Com texto escrito por ele, Frank Menezes dá uma sacudida na plateia e faz todo mundo pensar sobre onde está a  corrupção que tanto condenamos

MINIDOC - https://youtu.be/5Ja_4Jy01RI

A sociedade brasileira está de orelhas em pé, de cabelo arrepiado esperando a nova onda de delações premiadas, que pode vir de todos os lados ! Mas Frank Menezes como sempre sai na frente e joga logo tudo no ventilador em suas aulas de corrupção ativa que voltam a acontecer em outubro, no Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura do Salvador Shopping, sempre aos sábados (19h) e domingos (20h). Em O Corrupto, com direção de Marcelo Praddo, Frank Menezes encarna um professor que dá aulas de corrupção ativa para uma plateia repleta de alunos repetentes... e não poupa nada nem ninguém. Fala dos políticos, é claro, mas fala também da corrupção perpetrada por líderes espirituais de várias religiões, da corrupção nas instituições públicas e nas empresas privadas, nos meios de comunicação e das pequenas corrupções do dia a dia, aquelas toleradas sem dores de consciência pelo cidadão comum, como estacionar na vaga de deficientes, furar fila e outras tantas “coisinhas”. A peça acaba por ser uma “paulada” na consciência, dada entre gargalhadas. E Frank Menezes promete também atualização constante dos fatos, para que as risadas  do público não percam nunca prazo de validade. Para isso está de olho nos muitos fatos que toda semana balançam o país !  

Serviço:

“O CORRUPTO” – FRANK MENEZES
DIREÇÃO - MARCELO PRADDO
TEATRO EVA HERZ – dias 07, 08, 14,15, 21, 22 e 29 de outubro – no dia 28.10 não haverá peça – sempre aos sábados (20h) e domingos (19h)
Ingressos a R$50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia).
Selma Santos Produções e Eventos
Fone: 55 (71) 3261.2179
www.selmasantos.com.br

Assessoria de Imprensa – Doris Pinheiro 71 98896-5016