“A SOPA DE MARIA” FAZ HOMENAGEM AO DIA DA POESIA




Claudius Portugal, Douglas de Almeida, Edson Migracielo e Mabel Velloso participarão da penúltima edição da ação, dia 14, no Palacete das Artes

Claudius Portugal, Douglas de Almeida, Edson Migracielo e Mabel Velloso são os convidados da penúltima edição do “A Sopa de Maria”, que acontece na próxima terça-feira, 14.03, às 17h, na área externa do Palacete das Artes.  O bate-papo descontraído desta edição terá como tema central a literatura, destacando o dia Nacional da Poesia, data comemorativa dos 170 anos do poeta Castro Alves. Como nas outras edições, o acesso ao evento é gratuito.

Além do diálogo com o público, A Sopa de Maria oferece a todos os presentes uma sopa, que já é marca registrada do evento, e que remete à famosa sopa servida na casa da atriz Maria Moniz, na década de 60, reunindo intelectuais e jovens artistas. Nesta edição ela será preparada pelo chef João Miguel Colin, graduando em Gastronomia pela Universidade Federal da Bahia, que irá preparar uma receita especial, desenvolvida por ele exclusivamente para o evento.

A ação integra o projeto Tropicália: Régua e Compasso, realizado pela Fundação Cultural do Estado (Funceb), em parceria com o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) e com a Fundação Pedro Calmon (FPC), entidades vinculadas à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Convidados - Claudius Portugal, poeta, dramaturgo, foi editor da extinta revista Exu, na qual também atuou como repórter e colunista, de 2006 até 2016; apresentou, semanalmente, uma coluna sobre livro e leitura na Rádio Educadora da Bahia, no programa Multicultura. Dirige, roteiriza e apresenta para o Canal Assembleia, os programas Assembleia Literatura e Atelier. 

Douglas de Almeida, escritor, editor e poeta. Teve seus primeiros poemas publicados em 1980 na revista, República das Bananas e desde então não parou de escrever. Participa anualmente da organização do Cortejo Poético Performático de Castro Alves, que também acontece no dia 14 de março. Na “A Sopa de Maria”, ele vai falar sobre a influência de Castro Alves, Gregório de Mattos e da Tropicália, no Movimento Poetas da Praça; assim como relatos pessoais, sobre essas influências em sua poesia.

Edson Migracielo é escritor, autor dos romances "Novo Corpo Amoroso", "Sveglia" e do livro de contos "A extinção da primeira pessoa". É jornalista e mestre em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Como editor, comanda a Outr&m Editorial, sediada em Salvador. No encontro, ele trará seu relato sobre os manuscritos de Smetak e sobre o processo de residência artística no Instituto Hilda Hilst, realizada através do seu projeto Desengavetando Smetak, que foi contemplado no Edital de Mobilidade Artística e Cultural 2016 da Secult-BA.

Mabel Velloso é santamarense, autora de livros, educadora e cordelista. Mabel também é compositora e muitas de suas músicas já foram gravadas por sua irmã, Maria Bethânia, com quem gravou, em 2004, o álbum Brincar de Rezar (com as Meninas Cantoras de Petrópolis) e por sua filha, a cantora Belô Belloso. 

Exposição – O projeto Tropicália: Régua e Compasso desenvolve as ações A Sopa de Maria, Uma Ideia na Cabeça e Essa Noite se Improvisa, além de manter a exposição homônima na Sala Contemporânea Mario Cravo Jr, na qual o público tem acesso a peças de artistas da música, dança e das artes visuais em evidência nos anos 60, como Lina Bo Bardi, Walter Smetak, Yanka Rudzka, Carybé, Juarez Paraíso, Lênio Braga, Jenner Augusto, Pierre Verger E fotos dos acervos de Lia e Silvio Robatto, recentemente doados ao Centro de Memória da Bahia.

O Tropicália: Régua e Compasso foi idealizado por Fernanda Tourinho, diretora da Funceb e a exposição montada no Palacete das Artes tem curadoria de Murilo Ribeiro, diretor do espaço administrado pelo IPAC.

Comentários