PEDREIRO ADOTA MAIS DE 100 CRIANÇAS QUE SERIAM ABORTADAS






Se você já ouviu falar em compaixão e solidariedade, veja a história deste homem, que é pai de mais de 100 crianças .O pedreiro vietnamita Tong Phuoc Phuc salvou a vida de dezenas de bebês que seriam abortados nos últimos anos.

Phuc abriu as portas da própria casa para que essas gestantes tivessem onde ficar e se ofereceu para adotar os bebês que elas não quisessem.Desde então, ele adotou mais de cem bebês que seriam abortados e conseguiu que, com o tempo, muitas dessas mães voltassem para buscar os filhos quando estivessem em melhores condições.

Todos os bebês que Phuc adota, se são meninos, tem o nome de Vihn (que significa “Honra”), e se são meninas, são chamadas de Tam (que é “Coração”).

O segundo nome é sempre o da mãe, ou da cidade de origem dela – caso a mãe retorne; e o sobrenome é Phuc, que é o dele, pois ele considera todos como seus próprios filhos.Ele diz que “essas crianças agora têm um lar seguro. Eu estou disposto a ajudar e a ensiná-las a serem boas pessoas”.

Como começou
Tudo começou em 2001, quando a esposa dele estava grávida e teve muitas complicações.
O parto foi difícil e Phuc conta que enquanto aguardava no hospital pela recuperação de sua esposa, viu que muitas mulheres entravam grávidas na sala de parto mas saiam sem nenhum bebê.

A princípio ele não entendeu, mas quando viu os médicos jogando os fetos no lixo, se deu conta do que estava acontecendo.

Ele se compadeceu e então pediu para levar esses corpos. Com todas as economias que tinha de seu trabalho como construtor, comprou um pequeno campo para poder enterrar os restos dos bebês que eram jogados.

No começo, sua esposa pensou que ele tivesse enlouquecido, mas ele continuou fazendo isso e atualmente já são mais de 10.000 fetos abortados que aí descansam.

Desde que ele começou a enterrar os corpos, mães pós-abortivas começaram a ir ao cemitério para rezar pelos filhos sepultados, mas também apareceram grávidas em risco de aborto que começaram a pedir ajuda a ele.
Começam ali as adoções deste pedreiro, que não pararam mais.

Adoção
Apesar de parecer cansativo, Phuc não pensa em parar de adotar bebês nesta situação.“Continuarei a fazer esse trabalho até meu último suspiro de vida, e encorajo meus filhos a continuarem ajudando outras pessoas desprivilegiadas,” conta o pedreiro.

ALUNOS CRIAM CASINHAS COM GARRAFAS PET PARA CÃES DESABRIGADOS







Os alunos do grêmio estudantil da Escola Estadual Professora Judith Sant’Ana Diegues, em Ilha Comprida, São Paulo, se uniram para confeccionar casinhas para abrigar os animais que estão abandonados nas ruas da cidade.

As casinhas são feitas com materiais que seriam jogados no lixo, como garrafas PET e pedaços de madeira. “Sempre vieram muitos cachorros para cá. A gente sempre os alimentava, porém víamos que eles não tinham onde ficar. Então decidimos fazer alguma coisa para abrigá-los”, explica Elen da Silva, presidente do grêmio.

“Queríamos passar aos alunos a mensagem de que tínhamos que ajudar a comunidade, mostrar a eles que poderíamos fazer alguma coisa por Ilha Comprida. A escola entendeu o recado e está nos ajudando nessa causa.”

Os alunos criaram um passo a passo mostrando como se constrói as casinhas para que mais pessoas possam ajudar outros bichinhos!

http://razoesparaacreditar.com/animais/alunos-criam-casinhas-com-garrafas-pet-para-caes-desabrigados/


PARA APOIAR FILHO COM CÂNCER, PAI FAZ TATUAGEM IGUAL À CICATRIZ DO GAROTO




Câncer é uma palavra que assusta até mesmo quem não convive com a doença, mas o susto é certamente maior entre aqueles que precisam lidar esse tipo de diagnóstico. Felizmente, em muitos casos, os tratamentos funcionam, e as chances de cura são consideráveis, especialmente quando a doença é descoberta no início.

Quando Gabriel Marshall foi diagnosticado com câncer cerebral em março de 2015, aos 6 anos de idade, a notícia causou comoção em toda a família, que, desde o início, fez de tudo para ampará-lo. A cirurgia à qual Gabriel foi submetido pouco tempo depois do diagnóstico deixou uma grande cicatriz em sua cabeça e, como forma de dar apoio ao filho e aumentar sua autoconfiança, o pai de Gabriel, Josh Marshall, tatuou uma marca igual em sua própria cabeça.

A imagem do pai com a tatuagem ao lado do filho com a cicatriz acabou viralizando, depois de ter sido divulgada no Instagram. Em declaração publicada no Bored Panda, Josh disse que nunca imaginou que a foto fosse receber tantos likes e comentários positivos.
A recuperação de Gabriel pode ser acompanhada por um grupo no Facebook, que a família fez para divulgar informações sobre o estado de saúde do menino. Desde a cirurgia, que foi feita há mais de um ano, o garoto tem feito muitos progressos, ainda que nem todo o tumor tenha sido removido.

A imagem foi divulgada primeiramente por um perfil do Instagram que se dedica a postar fotos motivacionais. Na legenda, havia o seguinte texto: “Uma é uma cicatriz verdadeira. Outra é uma tattoo para mostrar apoio e fazê-lo se sentir normal. Pai do ano?”. Você concorda?

PRESERVATIVO PROMETE CORRIGIR PROBLEMA DA CAMISINHA COMUM



Desde a sua invenção no início do século XX, a camisinha de látex pouco mudou. Ela continua com o formato arredondado na base e apresenta o mesmo problema: ela pode estourar. Para evitar que situações inseguras como essa aconteçam, a empresa sueca LELO decidiu criar um preservativo que se assemelha à pele de uma cobra.

Se observada de longe, a Hex parece como qualquer outra camisinha. Porém, de perto, é possível notar que várias estruturas hexagonais - daí o nome "Hex" - são gravadas na superfície do produto. De acordo com a fabricante, são esses 350 pequenos hexágonos dentro e fora do preservativo que prometem mais sensibilidade e segurança para o usuário.
Devido a essa pequena mudança, a camisinha consegue suportar mais pressão. Em entrevista para o Tech Insider, Filip Sedic, fundador da LELO, explica que o preservativo se estica em seis direções a partir de qualquer ponto quando pressionado. Assim, se um furo é feito nele, o dano permanece contido em uma única célula - ou seja, ele não estoura como as camisinhas tradicionais.

"Há uma razão pela qual os favos de mel são da forma que são, e as escamas das cobras se movem da maneira que se movem: é porque hexágonos são fortes e simétricos", informa o site da LELO Hex.

Para criar essa estrutura hexagonal, a fabricante precisou mudar a maneira como as camisinhas são produzidas. Até hoje, os preservativos são feitos a partir da imersão de um molde no formato de um pênis em um tonel de látex líquido.

No caso da Hex, o molde é gravado com os hexágonos e mergulhado uma vez na mistura plástica para preencher as impressões. Depois, ele é imerso mais duas vezes para cobrir o restante do molde. Além da gravação hexagonal em sua superfície, o preservativo possui a mesma estrutura em sua parte interna. Segundo a LELO, isso previne que ele escorregue.

"Há uma razão para os pneus de chuva na Fórmula 1 terem uma superfície texturizada, enquanto os pneus lisos não. Eles fornecem fixação extra na pista e reduzem as chances de derrapagem", explica a marca.

Todo esse processo deixa a camisinha mais escura e grossa onde o padrão está gravado. No entanto, mesmo assim, ela tem apenas 0,055 milímetros de tecido Hex combinado com 0,045 milímetros de látex.

Tanta mudança na fabricação custa caro. O pacote mais barato com 36 camisinhas e um creme hidratante custa 245 reais. O frete é grátis para o Brasil e o produto deve ser enviado no dia 15 de agosto, segundo o site da LELO.

Apesar do alto custo, Sedic acredita que as pessoas irão comprar o produto devido à exclusividade. "Acreditamos que o maior problema com o preservativo é que as pessoas não querem usá-los. Então, precisamos fazê-los querer usá-los. Normalmente, se algo parece legal e é de alto custo, as pessoas querem compra-lo", conta o fundador.

JAPÃO MANTÉM ESTAÇÃO DE TREM PARA UMA ÚNICA USUÁRIA IR À ESCOLA





Uma companhia de trens japonesa resolveu preservar aberta a estação de Kami-Shirataki, localizada em Hokkaido.

A curiosidade é que a estação funciona apenas para uma pessoa: a adolescente Kana Harada.

A remota estação, que se encontra a 80 quilômetros de distância da parada inicial, funciona duas vezes ao dia: de manhã, às 7h04m, e de tarde às 17h08m, apenas nos dias em que Kana tem aulas e com o horário ajustado para que ela realize o trajeto entre sua casa e a escola.

A companhia Hokkaido Railway Co’s, que administra os trens da região, tem sido muito elogiada pelos usuários devido ao gesto de respeito e bondade. A princípio, em 2012, a decisão era de fechar a estação devido à falta de uso e à localização remota. No entanto, após uma investigação, eles descobriram que a parada era usada diariamente por apenas uma menina. Logo, a empresa decidiu que a estação ficaria aberta até março de 2016, quando Kana Harada se formou.

A jovem utiliza a estação há três anos e já expressou a sua tristeza ao lembrar que ela irá fechar em breve. “Eu fico triste por pensar que ela vai desaparecer, mas me sinto muito agradecida por tudo”, afirmou em um vídeo disponibilizado pelo Daily Mail.

A história da menina é comovente e o gesto bondoso da empresa é um modelo a ser seguido.

CARLOS VENTURA LANÇOU CONJECTURAS – ABOCA





Aconteceu ontem, dia 10 de junho de 2016, o lançamento do livro Conjecturas, de Carlos Ventura. "CONJECTURAS” é uma obra de ficção que fala sobre o real cotidiano. A obra que virou peça e a peça que virou livro busca fazer com que o leitor se sinta na plateia assistindo o livro e vivendo a peça.

O evento aconteceu na ABOCA-Associação Baiana e Observatório de Cultura e Arte, localizado a Rua dos Marchantes 12 - Santo Antônio Além do Carmo (Próximo à Cruz do Pascoal) - Pelourinho - Salvador-Bahia-Brasil.

A obra com pitadas de humor, abordando temas como Homossexualidade, Violência Contra Mulher e as Relações Virtuais de Amor, CONJETURAS busca dar a cada um dos temas um fim é uma finalidade para ser abordado na obra.

As venturas e desventuras de ser artista e viver da arte estão na obra sendo contado pelas personagens: Luiz, Gigi e Narciso. 

Três amigos, três histórias de vida que se entrelaçam, superando tabus e rompendo regras.
Mas a figura principal na obra é o Amor que se apresenta em cada ato e cena, de maneira surpreendente.

Dentre os presentes: Profa. Dra. Claudia Bergamini (Sócia Proprietária a CEOS EDITORA) Tonny Ferreira (Ator e Diretor) artistas Plásticos Antônio VOUGUE, Tereza Mazzoli, Ilda Loureiro, Escritor Marlon Marcos, Valdeck Almeida de Jesus dentre outros. 
O evento teve como promoter Greice Zago.

Na programação, coquetel com queijos, vinhos, e um Concerto de Carlos Ventura com trabalhos autorais e as canções compostas para a peça CONJECTURAS!

Projeto Show Caminhos Abertos - Carlos Ventura: Violao e Voz, Luciano Factum: Guitarra e Violão,  James D'afé: Percuteria e Efeitos e a presença e participação de Carlos Nascimento. 


O Blog da Gaivota esteve presente e registrou alguns desses momentos: