ASTRÔNOMOS OBSERVAM NASCIMENTO DE UMA ESTRELA GIGANTE “EM TEMPO REAL”







Por Fabio Marton

Antes e depois: W75N(B)-VLA 2  em 1996 e hoje [Crédito: Bill Saxton, NRAO/AUI/NSF]

Eventos astronômicos costumam ser medidos em milhões ou bilhões de anos, mas há algumas exceções. A imagem acima é uma concepção artística da protoestrela gigante W75N(B)-VLA 2. A 4200 anos-luz de distância, ela nem está formada, mas já é 300 vezes mais brilhante que o sol.

A gigante no berçário não foi observada visualmente, mas por radiotelescopia, através do Very Large Array (VLA), primeiro em 1996, depois este ano. O resultado não se parece em nada do que se imaginaria do nascimento de uma estrela. O formato de amendoim – que os cientistas preferiram definir como “elíptico”– é resultado da rápida expansão nesses poucos anos. O anel é uma nuvem de poeira e gás, a estrela propriamente dita é o que está no centro.

“Estamos vendo mudanças dramáticas em tempo real, esse objeto está nos provendo com uma oportunidade excitante de observar pelos próximos anos como uma estrela extremamente nova passa pelos seus estágios iniciais de transformação”, afirmou Carlos Carrasco Gonzales, da Universidade Nacional Autônoma do México, líder da pesquisa que fez as duas observações.

Curiosamente, o que os astrônomos estão vendo é um “filme” do que se passou na época dos faraós. Esse é o tempo que a luz (e o rádio) levaram para chegar da protoestrela até aqui.