CIENTISTAS DESENVOLVEM CHOCOLATE MAIS SABOROSO E QUE PREVINE CÂNCER

Nesta época de Páscoa é praticamente impossível não passar da medida no chocolate e depois escapar daquele sentimento de culpa pode ter caído na tentação. Mas… quem nunca, né? Porém, não se preocupe: seus dias de peso na consciência podem acabar. Uma equipe internacional de pesquisadores alega ter descoberto uma maneira de produzir um chocolate mais saudável e que pode servir como alimento que previne o câncer e faz bem ao coração. O trabalho foi apresentado recentemente na conferência da Sociedade Americana de Química, em Denver, nos EUA.

A grande boa notícia está no aumento da presença de polifenóis no chocolate, um composto com propriedades antioxidantes que atua na prevenção de doenças. O estudo indica que um processo extra na produção do cacau pode resultar em um chocolate bem mais saudável. 

Tradicionalmente, as vagens de cacau são retiradas da árvore, e as sementes amargas são extraídas do interior dessas vagens, fermentadas e secas ao sol. Depois são adicionados açúcar, leite e outros ingredientes para que o chocolate industrializado chegue às prateleiras dos supermercados.

De acordo com o estudo, se as sementes forem mantidas nas vagens por mais sete dias do que o normal, elas mantêm mais antioxidantes do que as sementes retiradas antes desse período. Os pesquisadores acreditam que os grãos armazenados tiveram mais tempo para absorver mais nutrientes a partir de suas cascas externas, mas não tempo suficiente para que elas quebrem. 

Os pesquisadores também avaliaram o efeito da torrefação, que poderia diminuir o valor nutricional do chocolate. Eles descobriram que sementes obtêm mais antioxidantes quando são torradas a uma temperatura ligeiramente mais baixa durante por mais tempo, e as sementes das vagens que tinham sido armazenadas durante sete dias tiveram um melhor desempenho ainda. Não somente o chocolote ficou mais nutritivo como também mais saboroso, pois as semente amargas passaram mais tempo em contato com a polpa doce da vagem. Os pesquisadores planejam continuar o trabalho para afinar o processo de torra no futuro.



Comentários