ENEB – ENCONTRO DE ESCRITORES BAIANOS 2015 HOMENAGEIA O CARTUNISTA ANTÔNIO CEDRAZ




A União Baiana de Escritores (UBESC) promove a 5ª edição doEncontro de Escritores Baianos (ENEB) e homenageia o escritor e quadrinista baiano, Antônio Luiz Ramos Cedraz (1945-2014), criador da Turma do Xaxado. O evento conta com programação diversificada com palestras, bate-papos, mesas-redondas, homenagens, saraus, espetáculos de dança e circense, lançamentos de livros nacionais e internacionais, além da feira de livros da Fundação Pedro Calmon (FPC) com sessão de autógrafos, bate-papo com escritores, intercâmbio, leitura de livros, exposição, venda, troca e distribuição de publicações. Com curadoria do jornalista e editor Roberto Leal o evento promove também o Momento do Livro Infantil, com contação de história e lançamento de livros infantis; e entrega do título de Personalidade de Importância Cultural ao poeta popular e agitador cultural, Luar Aidner Mendez Neves, conhecido como “Luar do Conselheiro”.

Biblioteca Pública do Estado da Bahia
71 3117-6000
9/10 e 10/10
Grátis

CONVERSANDO COM A SUA HISTÓRIA



Aula pública sobre movimentos na Bahia rebelde, como a Sabinada, Canudos e Cangaço, respectivamente.
Biblioteca Pública do Estado da Bahia
5/10, 19/10 e 26/10, 17h
FPC/ SecultBA


CEPA – GERMANO MACHADO LANÇARÁ LIVRO - A LONGO PRAZO




O Círculo de Estudo Pensamento e Ação (CEPA) – movimento educativo-cultural convida V.Sa. e Exma. família para o Lançamento no dia 30 de setembro, quarta-feira, no Centro de Cultura da Câmara Municipal, do livro A LONGO PRAZO, do Professor Germano Machado, a partir das 18 horas. O A LONGO PRAZO é uma segunda edição ampliada e desdobrada.

A temática é o Tempo e o estilo é de diário estético-filosófico, chamado por Geraldo Coni Caldas, in memoriam, como um livro de cabeceira para leitura contínua.


Haverá Sarau Poético e Musical, com Chico Do Crato, Marly Ramos,Edgar Velame,Elder Santos, Rosana Paulo, Paulo Balôba, Rita Soll, Malú Soares, Yuri Sant'Anna da Silva, Milica San, Michelle Saimon, Suely Saba,Vitória Régia Sampaio, Magali Fernandes, Fernanda Veiga, Josue Ramiro Ramalho, Luiz Menezes De Miranda Miranda, Ivan de Almeida, Cymar Gaivota Lucymar Soares, Fabio Haendel, Fabio Shiva, Osvaldo Lemos, e demais convidados e presentes! 

Germano Machado, apresenta uma riqueza no conteúdo e quem ainda não teve essa oportunidade, onde estará recebendo amigos, alunos, autoridades e familiares para despertar ainda mais o lado filosófico de todos presentes. 

Foto Facebook
Germano Machado nasceu em Salvador – Bahia, no dia 28 de maio de 1926. É escritor e jornalista com formação na primeira turma de Jornalismo da Universidade Federal da Bahia. Fundador e presidente do Círculo de Estudo Pensamento e Ação (CEPA), entidade com mais de 60 anos de existência. Foi Oficial de Gabinete do Governador Juracy Magalhães e diretor da Imprensa Oficial da Bahia, no Governo de Lomanto Jr. Lecionou na Universidade Federal da Bahia (UFBA), na Universidade Católica de Salvador (UCSAL) e na Escola Técnica Federal da Bahia.

Atualmente pertence à Academia de Letras e Artes “Mater Salvatoris”, à Academia de Letras e Artes de Salvador, à Academia Baiana de Educação, ao Grupo de Ação Cultural da Bahia e agora a União Baiana de Escritores – UBESC. 

A obra tem apresentação do professor e escritor Luiz Ademir Souza, que traduz a abordagem filosófica de GM, “A longo prazo é todo pergunta e sua principalidade crítica é exatamente o fato de o autor não se desgastar nem se derivar a antropofagismo de esquerda ou insignificantes esclarecimentos de direita. E sem artifícios, estende seus pensamentos mais nobres ao leitor que, por sua vez, se prende à honestidade de um autor culto e reconhecido nacionalmente”. O livro traz uma introdução filosófica a cerca de “A longo prazo: análise filosófica da temática tempo” do sociólogo e poeta colombiano Tarsício Forero. Vale conferir toda a obra “A longo prazo”.

MULTIARTISTA PARAIBANO - ANDRÉ MORAIS EM SALVADOR - TEATRO GAMBOA NOVA



Dilacerado é a canção que dá título ao novo disco de André Morais, multiartista paraibano com uma carreira de sucesso. Segundo álbum de sua trajetória, o trabalho une onze faixas de sua autoria em parceria com importantes nomes da música brasileira, como Chico César, Renato Braz, Lucina Carvalho e Giana Viscardi, além das participações especialíssimas de Elza Soares e Naná Vasconcelos. O show de lançamento do disco passa por Salvador nos dias 03 (20h) e 04 (17h) de outubro, no Teatro da Gamboa Nova.

Desde cedo, Morais mostrou-se um artista versátil, com uma inquietação criativa que alcança a música, a poesia, o teatro e o cinema. Essas experiências se unem em seu trabalho musical, trazendo teatralidade aos palcos, cinema e música à sua poética. Em estado permanente de poesia, Morais construiu ao longo de três anos, um universo particular de amor e erotismo, natureza, desejo e divino. Em versos como “o poeta guarda no verso o seu delito”, “me ame sem pele, sem lábios, me ame assim: dilacerado”, ele transforma esse novo trabalho num grito de sua orbe mais íntima. Sua poesia, aos poucos, foi tocando antigos e novos parceiros, que as traduziram em música, nascendo assim canções de amor que formam Dilacerado.

No palco, Morais se une aos músicos criadores que construíram a sonoridade de seu disco e traz ao público as suas novas canções, releituras de Chico Buarque, Legião Urbana e Alcione, além de poemas amorosos de grandes autores da língua portuguesa: Mia Couto, Drummond, Florbela Espanca, Eugênio de Andrade e Hilda Hilst. O show foi todo costurado com muita teatralidade, universo que já é íntimo de Morais, ator do premiado monólogo Diário de um Louco e do musical Bruta Flor. Com direção musical e arranjos coletivos, o show traz ao público uma apresentação que une fortemente teatro, música e literatura.

Bio -. Ator, cantor, poeta, diretor, muitas são as denominações para André Morais, mas, todos esses caminhos se unem pela ‘busca do instante poético que vibra’, como verseja Adélia Prado. Nascido na cidade de João Pessoa-PB, é autor de canções em parceria com nobres nomes da música brasileira como Carlos Lyra, Chico César, Ná Ozzetti, Sueli Costa, Ceumar, entre outros. Já cantou com Elza Soares, Mônica Salmaso, Naná Vasconcelos, Tetê Espíndola.  Lançou os álbuns Dilacerado (2015) e Bruta Flor (2011). No teatro, viajou pelas cinco regiões do país, em mais de 60 cidades, como ator e criador do monólogo Diário de um Louco. No cinema, é diretor e roteirista. Seu primeiro filme, o curta-metragem Alma, participou de mais de 20 festivais no Brasil e no exterior. 



Serviço

Show Dilacerado de André Morais 
Quando: 03 e 04/10/2015 - sab e dom
Horário: 20h dia 03 (Sab) e 17h dia 04 (dom)
Onde : Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03 - Aflitos
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia)
Classificação: 12 anos
Informações: www.teatrogamboanova.com.br http://andremorais.com (83)99134577 (André)

Ficha Técnica:
Direção Artística: André Morais
Direção Musical: Pedro Medeiros
Violão e arranjos: Pedro Medeiros
Baixo acústico e arranjos: Victor Mesquita
Canções de André Morais em parceria com Chico César, Lucina, Seu Pereira, Giana Viscardi e Michel Costa.Poemas de Mia Couto, Drummond, Florbela Espanca, Hilda Hilst e Eugênio de Andrade.







AS ESTÁTUAS DA ILHA DE PÁSCOA POSSUEM CORPOS?

Um e-mail contendo fotos de um projeto de escavação surpreendente inundou caixas de entrada em 2012. De acordo com o e-mail, as misteriosas estátuas da Ilha de Páscoa – centenas de enormes e antigos chefes de pedra esculpidos que guardam a paisagem montanhosa da ilha do Pacífico – na verdade, têm corpos. O e-mail dizia que arqueólogos estavam desenterrando os corpos das estátuas, que foram gradualmente enterrados por mais de 500 anos de erosão.

Mas, e então, essas fotos são reais ou não?
São reais! Mas seus corpos não são detalhados como a imagem em destaque sugere, imagem que realmente circula na Internet como se fosse real, mas não é.

Fotos da escavação publicadas no site do projeto, e fotos antigas tomadas das estátuas da Ilha de Páscoa encorpadas que foram escavadas na década de 1950, foram reunidas em um e-mail, levando a uma onda de interesse no projeto de escavação e confusão sobre o que é real e o que não.

“A razão pela qual as pessoas pensam que são apenas cabeças são 150 estátuas enterradas até os ombros na encosta de um vulcão, e estas são as mais famosas, mais bonitas e mais fotografadas de todas as estátuas da Ilha de Páscoa,” Van Tilburg, que é membro do Instituto Cotsen de Arqueologia da Universidade da Califórnia, Los Angeles, disse. “Isto sugere que as pessoas não tinham visto as fotos [de outras estátuas descobertas na ilha] que tinham o corpo todo”.

Na verdade, os arqueólogos que estudaram as estátuas na ilha por cerca de um século, tem conhecimento dos corpos sob as cabeças das estátuas desde as primeiras escavações em 1914.

As estátuas, chamadas moais, foram esculpidas a partir de rochas vulcânicas entre 1.100 e 1.500 pelos antigos polinésios. Elas variam em tamanho, com as mais altas atingindo até 10 metros. Apesar de sua importância, ainda é um mistério, e acredita-se terem sido representações dos ancestrais dos povos indígenas. A tribo teria, provavelmente, esculpido uma estátua nova cada vez que uma figura tribal importante falecia. [LiveScience]




SUPERLUA E ECLIPSE TOTAL OCORREM AO MESMO TEMPO NA NOITE DESTE DOMINGO


Eclipse poderá ser observado durante mais de uma hora a partir de 23h11.
Lua estará em seu ponto mais próximo da Terra.

Em seu ponto mais próximo da Terra, a Lua, que estará grande e luminosa, se vestirá de vermelho no final deste domingo (27) em um eclipse total, um fenômeno magnífico que só voltará a acontecer em 2033.

As condições convergem para que seja um eclipse espetacular", garantiu o astrônomo Pascal Descamps, do Observatório de Paris, à agência AFP.

O eclipse total da Lua poderá ser observado durante mais de uma hora, por volta das 23h11 até 0h23 (horário de Brasília), do continente americano até o Oriente Médio.

 Segundo o astônomo Cassio Barbosa, autor do blog Observatório, o Brasil estará em situação privilegiada para acompanhar o evento.

A Lua não produz luz própria, aproveitando a que recebe do Sol. No domingo, o astro estará alinhado com o Sol e a Terra.

MANDE SUAS FOTOS DO ECLIPSE DA SUPERLUA PARA O G1

Saiba mais aqui:

ELES ESTÃO NA ANTOLOGIA MEMÓRIAS - EDNEIA ANDRADE - ANTONIO ABREU - SUELY SABA




Edneia Oliveira Andrade nasceu, Feirense, nasceu em no 02 de dezembro de 1982. Filha de Antônio Alves de Andrade e Marina de Oliveira Andrade, é professora, compositora, poetisa e articulista, escreveu para o jornal Folha do Estado de Feira de Santana e na revista Òmnira. Atuou como formadora do Khan Academy nas escolas da Fundação Lemann. Licenciada em Biologia . Consultora Educacional pela UNIFAZ,. Edneia cursa pós-graduação em Gestão Pública pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Atualmente, trabalha na escrita do seu primeiro livro, cujo título provisório é “O céu pode esperar”, uma história baseada em fatos reais.


Antonio Carlos Abreu do Nascimento nasceu em Salvador, no dia 10 de julho de 1942. Começou a trabalhar aos 12 anos, como cobrador de ônibus. De aprendiz de marinheiro a radialista e delegado, hoje é tenente reformado da Polícia Militar da Bahia e tem dez filhos provenientes de seu casamento, realizado quando tinha 17 anos. Faixa azul em judô, é um apreciador das artes: fez curso de teatro e gravou um CD com diversas músicas sem direitos autorais.  


Suely Saba nasceu em Salvador, Bahia. É graduada em Letras e Respectivas Literaturas e cursa pós-graduação em Psicopedagogia. Atua como professora de Ensino Médio e pré-vestibular. Participou de algumas coletâneas literárias: duas da editora Cogito, uma da editora Mundo e outra da editora Andross.Recebeu menções honrosas e premiações em diversos concursos literários. Mantém a página /suely-saba-poemas (no Facebook e no Instagram: Poemas Suely Saba) e o site www.suelysaba.com.br . E-mail para contato com a autora: suelysaba@yahoo.com.br

TODO MUNDO TEM UMA NUVEM PESSOAL DE MICRÓBIOS



Não adianta esfregar com Super Cândida: micro-organismos no corpo humano são em número dez vezes maior que as próprias células. Mas não precisa entrar em crise de identidade: como bactérias e fungos são muito menores que células humanas, o volume total dos convidados é "apenas" cerca de um litro.

Agora, cientistas da Universidade do Oregon (EUA)descobriram que não apenas emitimos o tempo todo uma nuvem com milhões desses micróbios, como essa nuvem é única, permitindo identificar cada indivíduo. Eles compararam a situação com o Chiqueirinho da Turma do Charlie Brown.

Foi assim: eles colocaram 11 voluntários numa câmara esterilizada e depois estudaram as bactérias que foram levadas lá pela nuvem de cada um deles. Essa nuvem é formada por milhares de espécies diferentes, como a Streptococcus, que vive principalmente na boca, e a Propionibacterium, que habita a pele e causa espinhas. E, vejam só, a Super Cândida, um fungo a que muitos devem ter tido o desprazer de serem apresentados.

Feito o teste, os cientistas então mediram as proporções dos micro-organismos e seus marcadores genéticos, que indicam cepas diferentes. Depois de coletados os dados, eles repetiram o experimento, tentando identificar os voluntários por sua nuvem. Em quase todos os casos, acertaram.

"Esperávamos ser capazes de detectar o microbioma humano no ar em volta de uma pessoa, mas ficamos surpresos em descobrir que podíamos identificar a maioria dos ocupantes apenas testando sua nuvem microbial", afirma James F. Meadow, líder do estudo. "Nossos resultados demonstram, pela primeira vez, que indivíduos emitem sua nuvem microbial personalizada."

Quem sabe um dia não precisemos mais apresentar R.G. ou cartão de banco. Basta olhar nossa porquice para saber quem somos.

MAIS SEXO, MENOS ALEGRIA


Ao contrário do que sempre se imaginou-se, e até mesmo algumas pesquisas anteriores sobre o tema sugeriu, manter mais relações sexuais não faz o casal ser mais feliz em seu relacionamento. Pesquisadores da Universidade de Carnegie Mellon chegaram a conclusão que o excesso de sexo pode aumentar até mesmo a infelicidade.

Alguns estudos anteriores sobre comportamento haviam chegado a conclusões que quanto mais sexo os casais fazem, mais eles são felizes, chegando, inclusive, a comparar a felicidade de um casal que aumentou o número de relações de 1 para 4 por mês, com a mesma de receber 50 mil dólares de renda extra.

Contudo, o novo estudo conduzido pelo professor de economia e psicologia, George Leowenstein, mostrou que a realidade é exatamente oposta. O ponto de partida da pesquisa foi identificar se os casais faziam mais sexo porque estavam felizes ou se estavam felizes porque estavam fazendo mais sexo, além de considerar outros fatores como renda, localização e idade como medidores de felicidade.

A pesquisa durou 90 dias e contou com 64 casais adultos, com idade entre 35 e 65 anos, que foram divididos em 2 grupos. No primeiro grupo de casais foi pedido para que dobrasse o número de relações sexuais que estavam tendo até aquele momento, enquanto no outro pediram para manter a mesma quantidade de relações sexuais.

No decorrer dos três meses de pesquisa, os casais deveriam responder um questionário para medir a felicidade rotineiramente, e esses questionários começaram a surpreender os cientistas que esperavam uma história mais usual, em que estavam mais felizes os casais que aumentaram o volume de sexo.

Mas ao contrário do esperado, eles identificaram que a “obrigatoriedade” de manter relações acabou diminuindo a qualidade do sexo e, consequentemente, piorou o humor e a felicidade do casal. Enquanto os pares que mantiveram a quantidade continuavam a se mostrar satisfeitos com o número de relações e com a qualidade da mesma. Science Alert


ACASA PROMOVE - PROJETO BENEFICENTE TURISMO, MÚSICA E POESIA


A ONG liderada pela cantora Sarajane precisa de recursos para a reforma da entidade

A ong Associação  Criança na Arte Sarajane (ACASA) que fica localizada na Rua Direita do Santo Antônio, 60B, ao lado da igreja do Boqueirão, promove no dia 27 de setembro, a partir das 10h, o projeto "Turismo, Música e Poesia" que tem como objetivo celebrar o Dia Mundial do Turismo e arrecadar fundos para a reforma e manutenção da entidade. 

A ACASA desenvolve há 19 anos, oficinas para crianças e jovens estudantes, visando promover a auto-estima dos educandos, sua socialização e inserção social. Na ong as crianças e jovens tem acesso a cursos em áreas artísticas com o objetivo de desenvolver habilidades sócio-educativas e o aprimoramento sensitivo.

A programação do evento está repleta de novidades e atividades gratuitas que contemplam todos os públicos, tem Feira de Artes, Artesanato e Gastronomia,  apresentação da turma de ballet infantil da ACASA, da professora Tariana Costa, contação de histórias, com a escritora e contadora de histórias Danielle Andrade, oficina de Desenhos e Poesias, com o artista visual, poeta e músico Fábio Haendel, performance- “Quadro Negro”, com o grupo Gingando Sempre, performance- “Tradições de uma Bahia”, com Denys Silva Cia. de Dança, Sarajane apresentando seu novo show acústico “Música para Dançar Brasileira”, com convidados especiais como César Adolfo, Dj Jorge Itaitu e Dj Nelo, o cantor Ramon Lima e a banda Coro de Cor.

No domingo a ACASA oferece um caruru que terá um custo de R$ 15,00, para ajudar na reforma da entidade que apresenta telhado e paredes com problemas.

Sarajane

Sarajane é uma das pioneiras da Axé music. Seu primeiro grande sucesso, A roda, gravado em 1986, lhe rendeu uma série de participações nos programas de televisão e nas rádios brasileiras. Fez sucesso também com Vale 1986 e Venha me Amar (mas em 1991), entre outras. Voltou ao topo das paradas com Ela Sabe Mexer (Abre a roda morena, Roda de samba, Beco do amor 2)1989. Tem mais de 25 anos de Carnaval soteropolitano e ao longo de sua carreira gravou 13 discos.

Entre os vários prêmios, ganhou o de melhor cantora de trio elétrico. Foi capa da revista Playboy de julho de 1990. É irmã da também cantora Simone Moreno.

Atualmente coordena uma Organização Não-Governamental na capital baiana que promove a integração das crianças com atividades artísticas. A Associação Criança na Arte Sarajane (ACASA) oferece cursos em diversas áreas e ultimamente passou por sérias dificuldades financeiras. Localizada no bairro Santo Antônio, em um prédio cedido pelo Governo do Estado da Bahia através do IPAC, a ONG é administrada pela cantora e atualmente conta apenas com o apoio da comunidade. Alguns convênios em parceria com a prefeitura ainda não foram fechados, o que dificulta o desenvolvimento normal de suas atividades, mas a cantora (e agora administradora) não desanima.

Ramon Lima


Um show que passeia do samba ao reggae, da salsa ao jazz e sucessos da MPB em novas versões. Além de apresentar no repertório músicas autorais inéditas e antigas que integram os dois álbuns da carreira do artista, “Cor dia Cor”, lançado em 2007 e “Como eu Sou”, lançado em 2011. Este é o som do cantor e compositor Ramon Lima, que com 11 anos de carreira, já obteve algumas conquistas, entre elas, está o prêmio de Melhor Arranjo no Festival Vozes da Terra em 2009, em Feira de Santana, com a música Brasis. Foi selecionado em novembro de 2012, para a semifinal do Festival de Brumado, Bahia. Cursou Técnica Vocal, no Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA). Fez direção musical dos dois álbuns de sua carreira e do show Como eu Sou e em 2014 foi indicado como Melhor Show no Prêmio Caymmi de Música, com o Show Como eu Sou. Atualmente ele está cursando música na Universidade Católica de Salvador (UCSAL) para aprimorar o seu conhecimento que até então era autodidata.

Em 2011, se apresentou na The Best Beach – Ribeira, onde abriu o show do mineiro Vander Lee e em 2014 abriu o show de Djavan em Feira de Santana. Em setembro de 2012, apresentou a música Brasis na Mostra Sesc de Música – Ano I e ficou entre os 36 selecionados na Mostra. Em 2013 integrou o Coro Sinfônico do Neojiba, com regência do maestro Paulo Novais.

Coro de Cor


Em tempos de nomes individuais na música popular brasileira, a banda Coro de Cor traz a música em primeiro plano. Com som essencialmente brasileiro, o grupo faz um trabalho de maneira própria que prima pela qualidade e sutileza nos arranjos. 

Levando a música como forma de expressão, Geysa Maiana, Bruno Maiky e Armando Lui reúnem as suas cores únicas e dessa combinação nasce o som da Coro deCor. Com oito anos de existência, vem sendo bastante elogiada pelos seus shows apresentados em Salvador e outras cidades baianas. 

Lançou seu primeiro álbum independente, intitulado “Singularidades”, em outubro de 2011, com repertório predominantemente autoral, no qual também estão entre os compositores Caetano Veloso, João Donato e Carlinhos Brown. Neste trabalho, percorre desde o reggae ao samba, do ijexá ao romântico sempre explorando as vozes em seus arranjos. 

Desde sua formação, a banda vem trilhando festivais e eventos de música pelo Brasil quando iniciou sendo finalista do III UNIFEST (2006), organizado pela UFBA. E ao longo desse período, foi selecionada para mostrar seu trabalho autoral em diversos outros como na mostra 36º FEMUCIC – Maringá/PR; no Festival ENCUT 2013de MPB -Taubaté/SP, no qual levou o prêmio de melhor arranjo pela música “Sertão Meu”; no 43º e 44º FENAC/MG; no 37º FEMPI - Ibotirama/BA. Por dois anos consecutivos (2012 e 2013), participou da Mostra SESC de Música da Bahia. Também foi finalista do Festival de Música da Bahia, em 2010 e 2012 e foi vencedor do Festival de Música dos Bancários da Bahia, em 2009, também com “Sertão Meu”. Nas edições de 2012 e 2013 do Festival de Música da Educadora FM levou o prêmiode música “Mais Votada pelos Ouvintes”. Em 2014, o troféu de 2º lugar no Prêmio Sesc de Música Tom Jobim, em Brasília/DF. 

Coro de Cor, por onde passa, instiga o público a colorir a vida com sensibilidade, poesia e ritmo.



PROJETO “TURISMO, MÚSICA E POESIA”

A ONG ACASA comemora o Dia Internacional do Turismo com uma programação diversa:

10h às 17h- Feira de Artes, Artesanato e Gastronomia

10h Abertura das atividades com a apresentação da turma de ballet infantil da ACASA- coord. da professora Tariana Costa

10h10- Contação de Histórias, com a escritora e contadora de histórias Danielle Andrade

11h10- Oficina de Desenhos e Poesias, com o artista visual, poeta e músico Fábio Haendel 


Fábio Haendel

12h- Encerramento da manhã com apresentação da turma de ballet infantil da ACASA- coord. da professora Tariana Costa

14h- Performance- “Quadro Negro”, com o grupo Gingando Sempre

Performance- “Tradições de uma Bahia”, com Denys Silva Cia. de Dança

15h- Sarajane apresentando seu novo show acústico “Música para Dançar Brasileira”, com convidados especiais

16h-Ramon Lima

16h30- Coro de Cor

PLANTA DO TABACO PODE SER MODIFICADA PARA CRIAR INGREDIENTE-CHAVE NO TRATAMENTO DO CÂNCER


A planta do tabaco poderia ser modificada para produzir uma droga contra o câncer, de acordo com uma nova pesquisa de cientistas norte-americanos.

Isso graças a uma replicação do Etopósido, um medicamento de quimioterapia utilizado para tratar tumores do pulmão, ovários, testículos, bem como o linfoma. Não existem, atualmente, maneiras de produzir o medicamento sem um composto chamado podofilotoxina, encontrado naturalmente em uma planta rara, chamada “Himalayan mayapple”.

Agora, cientistas da Universidade de Stanford, na Califórnia, EUA, podem ter conseguido reconstruir geneticamente a planta do tabaco para criar um novo composto, superando um dos principais ingredientes necessários para criar Etopósido.

No momento os fabricantes da droga confiam na planta “Himalayan mayapple”, que está em risco de extinção, para seu ingrediente vital. Mas ela cresce muito lentamente e só é encontrada no Himalaia. Por isso, os investigadores centraram-se em quatro genes que são conhecidos na produção de podofilotoxina, e, em seguida, analisaram os dados genéticos da planta do Himalaia para identificar genes semelhantes. Então, manipularam uma planta do tabaco para expressar novos genes e identificar os compostos resultantes no tecido foliar.

No total, os autores identificaram seis novos genes que, combinados com as quatro originais, produzem um novo ingrediente, chamado desmetil-epipodofilotoxina. Os pesquisadores disseram que ele supera a podofilotoxina como um ingrediente-chave para o medicamento de quimioterapia.

A professora Elizabeth Sattely e sua estudante de graduação, Warren Lau, da Universidade de Stanford, disseram que a podofilotoxina, um produto químico da planta do Himalaia, é o precursor natural para Etopósido, “usado em dezenas de regimes de quimioterapia para uma variedade de doenças malignas”. Eles têm isolado o método pelo qual se pode recriar esta substância em plantas de tabaco, e esperam que o método possa ser aplicado a outras plantas.

O trabalho, publicado na revista Science, pode levar a um fornecimento mais estável da droga e permitir que os cientistas consigam torná-la mais segura e eficaz. Muitas das drogas utilizadas para tratamento de dores e luta contra o câncer foram inicialmente identificadas em plantas, algumas das quais estão em risco de extinção ou demoram para crescer. Em muitos casos, as plantas ainda são a fonte primária da droga.

“O que foi marcante para nós é que, com tantos produtos naturais de plantas usadas atualmente como drogas, nós temos que cultivar a planta, então isolar o composto”, disse Elizabeth, revelando que a equipe espera, eventualmente, produzir o medicamento em leveduras.

“A grande promessa da biologia sintética é ser capaz de projetar caminhos da natureza, mas se nós não sabemos o que as proteínas são, então não podemos sequer começar este esforço”, finalizou.


VAI DAR CERTO? CHINESA CONGELOU SEU CÉREBRO PARA VOLTAR À VIDA EM 50 ANOS

Quando falamos sobre criogenia, que é a técnica de preservação à base de nitrogênio, é normal pensarmos na aplicação desse método a seres humanos como um prato cheio para histórias deficção científica. A ideia de congelar pessoas mortas para que voltem à vida no futuro é muito bizarra, e, justamente por isso, a escritora chinesa de ficção científica Du Hong fez questão de ser pioneira nesse campo.

Determinada, ousada, criativa e com coragem para gastar suas economias, Du Hong decidiu congelar seu cérebro depois de sua morte, para que, futuramente, a Ciência possa tentar trazê-la de volta à vida. A grande questão nesse sentido é que isso nunca foi feito antes e, por mais que a criogenia exista, a ideia de trazer um cérebro de volta à vida, depois de anos congelado, intriga cientistas.

Além de difícil, o processo de criogenia é extremamente caro. No caso de Du Hong, só para congelar seu cérebro a escritora precisou desembolsar uma pequena fortuna equivalente a R$ 475 mil. Após a morte da chinesa, que faleceu aos 61 anos em maio deste ano em decorrência de um câncer no pâncreas, seu órgão pensante foi imediatamente retirado de seu corpo e, em seguida, conservado em nitrogênio a -196 °C. Para que ela “ressuscite”, a Ciência ainda precisa desenvolver novas técnicas relacionadas à criogenia.

Saiba tudo aqui:

GAROTA QUE PERDEU AS PERNAS E USAVA BOLA DE BASQUETE PARA ANDAR, SE TORNA CAMPEÃ DE NATAÇÃO



Qian Hongyan, de Yunnan, na China, ficou famosa na imprensa local em 2005, quando ela foi fotografada ‘andando’ com a ajuda de uma bola de basquete.

Ela perdeu as duas pernas em um acidente automotivo, quando tinha quatro anos, em 2000. Hoje, a mesma jovem é uma nadadora campeã, com sonhos Paraolímpicos.

Em 2009, a determinada menina se tornou campeã nacional do Jogos Paraolímpicos Nacionais de Natação da China, e em setembro do ano passado, venceu os 100m de nado peito nos Jogos Paraolímpicos de Yunnan.


Veja esse exemplo de vida aqui:

HONRAS – FEIRA DE SANTANA ESPERA 70 MIL PESSOAS NA 8ª FEIRA DO LIVRO – FESTIVAL LITERÁRIO E CULTURAL


Com o objetivo de mobilizar a comunidade feirense sobre a importância da leitura e da participação de cada ser na construção coletiva da cidadania, a Feira programa círculos de leitura, contação de histórias, recitais, apresentações teatrais, mostra de filmes e lançamento de livros, entre eles o infantil O Autor É Você, da professora Palmira Heine; e a coletânea Dicionário de Escritores Contemporâneos da Bahia. 

O encontro conta ainda com o show Forma e Formas – Casos e Causos, do cantor Marcionilio Prado; bate-papo com o autor pernambucano Marcelino Freire e com o escritor baiano Luís Pimentel; e apresentação do Balé da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB). 

Nesta edição, a Feira faz homenagem póstuma ao intelectual Anchieta Nery, ao jornalista Hugo Navarro, ao cartunista Antônio Cedraz, a corista Junília de Oliveira e ainda ao folheteiro Jurivaldo da Silva, ainda em atividade, dando aos seus espaços os nomes das personalidades feirenses.

Praça João Barbosa de Carvalho – Praça do Fórum (Feira de Santana)
75 3161-8026 |feiradolivrouefs@gmail.com
22/9 a 27/9, 9h
Grátis

UEFS/ SecultBA/ Arquidiocese de Feira de Santana/ Sesc/ Secretarias Municipais de Educação e de Cultura, Esporte e Lazer de Feira de Santana

http://www.uefs.br/feiradolivro
www.agendacultural.ba.gov.br

MUSEU CURTO: LITERATURA - CRIANÇAS E JOVENS ESCRITORES FAZEM MEDIAÇÃO NO MAB

Crianças e jovens escritores fazem Mediação no MAB
Filhos de pescadores e marisqueiras apresentam livro no domingo, 27.9, dia de celebração dos ibejis. Público também confere saraus das periferias

Domingo, dia 27 de setembro, é dia de curtir literatura em Mediação no Museu de Arte da Bahia (MAB). Das 14h às 18h escritores de várias idades vão fazer contato com o público, apresentando conteúdos relacionados às suas produções. Filhos de pescadores e marisqueiras de Madre Deus são os autores de publicação da Madre Livros, que será apresentado ao público no dia em que serão celebrados os ibejis, ou, no sincretismo, os jovens gêmeos São Cosme e Damião. Já o Encontro de Saraus reúne autores das periferias de Salvador, com sua poesia baseada em questões sociais.

A programação gratuita do #MusEuCurtoLiteratura integra o projeto #MusEuCurtoArte, de dinamização artística de museus, realizada pela Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB e pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia – IPAC, unidades da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). “A proposta do #MusEuCurtoLiteratura é criar diálogos, tanto entre os diversos campos dentro da literatura, que vão desde o texto escrito, passando pela oralidade e características visuais, estendendo este diálogo entre artistas e público, aproximando-os”, considera Karina Rabinovitz, coordenadora de Literatura da FUNCEB. 


Programação

A edição do dia 27.9 é a segunda da série iniciada no dia 13.9. Das 14h às 16h o programa do próximo domingo será aberto com o Projeto Madre Livros, lançando O Sirizinho Aventureiro, escrito por sete crianças, filhos de pescadores e/ou marisqueiras do município baiano de Madre de Deus, durante as oficinas do Projeto Madre Livros, contemplado no Edital Setorial de Literatura da FUNCEB - 2012/2013. Os sete autores mirins virão de Madre de Deus, especialmente para a atividade, neste Dia de Cosme e Damião, que contará com leitura do livro e exposição das ilustrações.
O Encontro de Saraus ganha nova edição na mediação, das 16h às 18h, nesta data reunindo membros do Sarau da Onça (Sussuarana), Sarau do Jaca (Cajazeiras) e Sarau Enegrecencia (Baixa dos Sapateiros).

#MUSEUCURTOARTE – O projeto utiliza equipamentos públicos para abrigar programação relacionada às linguagens artísticas. Em julho, o Museu de Arte da Bahia acolheu ações voltadas para dança, primeira linguagem da sequência do projeto. Serão mais doze domingos da programação, com cada linguagem coordenada pela FUNCEB – música teatro, literatura, audiovisual, circo e artes visuais -, ocupando, cada uma, dois domingos do cronograma. Uma equipe com mais de 20 técnicos estaduais da Funceb e do Ipac idealiza a programação, atendendo à demanda de ocupação de espaços públicos por parte de público e realizadores. Além de eventos, a proposta é disponibilizar espaço para ensaio de grupos cênicos. 
O aumento do diálogo com a sociedade e a dinamização artística de equipamentos públicos tem como objetivo incentivar o maior uso e sentimento de pertencimento da população para com esses equipamentos.


PROGRAMAÇÃO

Dia 27/9 
14h às 16h – Projeto Madre Livros. Lançamento do livro “O Sirizinho Aventureiro” - Escrito por sete crianças, filhos de pescadores e/ou marisqueiras do município baiano de Madre de Deus.
16h às 18h – Encontro de Saraus. Sarau da Onça (Sussuarana), Sarau do Jaca (Cajazeiras), Sarau Enegrecencia (Baixa dos Sapateiros)

Serviço:
#MUSEUCURTOARTE/#MuseuCurtoLiteratura
Onde: Museu de Arte da Bahia, Corredor da Vitória, Salvador. 
Quando:  27/9, a partir das 14h
Ingresso: Gratuito


------------------------------------------------------
Assessoria de Comunicação
Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB
asc.funceb@gmail.com | (71) 3324-8565
Claudia Pedreira – claudiapedreirajornalismo@gmail.com | (71) 8879-7994
www.fundacaocultural.ba.gov.br
Coordenação de Literatura da FUNCEB
Tel.: (71) 3324-8507

LEI PROÍBE USO DE PAU DE SELFIE EM SALVADOR; ENTENDA


Foto: Google 

Medida foi publicada hoje no Diário Oficial do Município e passa a valer em 90 dias em eventos de grande porte na capital

Agora é lei. Será proibido portar pau de selfie em eventos públicos e privados de grande apelo popular e estádios de futebol de Salvador. A novidade está prevista em lei publicada no Diário Oficial do Município desta quinta-feira (18) e passa a vigorar dentro de 90 dias.
O projeto de lei foi de autoria de Alfredo Mangueira(PMDB). Segundo a chefia do gabinete do vereador, a proibição foi motivada pelo entendimento de que o cabo da peça pode facilmente ser transformado em arma branca. 

Só com a regulamentação da lei, que deve ocorrer nesse período, é que devem ser definidas as penalidades para quem não cumprir com a nova determinação. A lei permite o uso do pau de selfie apenas em áreas privadas e em ambientes fechados, como sala de espetáculos e casas de show da capital baiana.

A viagem com o acessório foi liberada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) só em janeiro deste ano, quando o pau de selfie foi permitido na bagagem de mão, "desde que o equipamento esteja dentro das especificações permitidas", diz a resolução da agência. 
Selfies na mira dos governos: "pode custar a sua vida"

Veja aqui:


6 MILAGRES DA BÍBLIA EXPLICADOS PELA CIÊNCIA



A abertura do Mar Vermelho. A ressurreição de Lázaro. O paraplégico que andou. Para tudo há uma explicação: o que a Bíblia chama de intervenção divina, a ciência tentou explicar de outras maneiras: 

1-As 10 pragas do Egito
2-Cruzando o Mar Vermelho
3-Transformar água salgada em doce
4-Cruzando o Rio Jordão
5-Ressurreição de Lázaro
6-Levanta-te e anda


Veja aqui: 



COM CEBOLA DE 6 KG, BRITÂNICA LEVA TÍTULO EM DISPUTA DE VEGETAIS GIGANTES



Cebola cultivada por Barbara Cook era maior do que cabeça humana.

Feira também definiu títulos de abobrinha, beterraba e repolho gigantes.
Com uma cebola de 6,165 quilos, a britânica Barbara Cook conquistou o título da tradicional competição de vegetais gigantes, nesta sexta-feira (18), na feira de Harrogate, na Inglaterra. A cebola cultivada por Barbara era maior do que uma cabeça humana.

Também foram definidos os vencedores da abobrinha, repolho e beterraba gigantes.  A abobrinha campeã de 52,2 kg foi cultivada pelo britânico Peter Glazebrook, enquanto seu compatriota Ian Neale levou os títulos do repolho (24,2 kg) e beterraba (14,14 kg).




MAYRANT GALLO MINISTRA OFICINA DE CRIAÇÃO DE CONTOS COM PUBLICAÇÃO DE LIVRO NO FINAL

No mês de outubro, nos dias 3, 10, 24 e 31 (sábados), das 9h às 13h, o escritor Mayrant Gallo ministra em Salvador, a “Oficina de criação de contos”, que tem como proposta ampliar os conhecimentos de pessoas interessadas em escrever ficção, principalmente o gênero conto. Além do certificado, ao final do curso, a produção dos alunos será publicada em um livro, com a chancela e organização do próprio Mayrant. 

A oficina terá duração de 16 horas, dividido em quatro sábados e será coordenado pelo jornalista Carlos Souza Yeshua, responsável pelas inscrições. Para participar, os interessados devem fazer contato, através do e mail: carlossouzamkt@hotmail.com ou 71 8122-7231, onde também poderá obter as informações sobre os custos.  As vagas são limitadas!

O método consiste em através da leitura de contos exemplares, oferecer aos participantes os componentes estruturais do gênero, em suas duas vertentes mais tradicionais: o conto moderno (com final aberto) e o conto clássico (com desfecho preciso). “Em 2014 realizamos uma oficina com Mayrant Gallo, que foi muito proveitosa e atendendo ao desejo de algumas pessoas que não puderam participar na ocasião, realizaremos uma nova edição”, diz Yeshua, destacando ainda que o grande diferencial dessa vez é a publicação de um livro com os contos escritos pelos participantes durante o curso.  

Mayrant Gallo - É formado em Letras com Francês e mestre em Teoria da Literatura pela UFBA. Foi professor da mesma disciplina e de Literatura Brasileira na UEFS. Já escreveu mais de uma dezena de livros, entre os quais O inédito de Kafka (2003), Brancos reflexos ao longe (2011), Cidade singular (2013), As aventuras de Nicolau & Ricardo: detetives (2014), O gol esquecido (2014) e O enigma dos livros (2015). No Correio da Bahia, publicou mais de trezentos textos, entre crônicas, contos e ensaios. Sua novela "Moinhos", que integra o volume Três infâncias (2011), ganhou o prêmio Literatura para Todos 2009, do MEC. Em 2010, foi contemplado com a bolsa de criação literária MinC-Petrobras, o que resultou no romance Os encantos do sol (2013). 

SERVIÇO:

O quê: Oficina de criação de contos, com o escritor e professor Mayrant Gallo.
Onde: Rua São Raimundo, 15 - Politeama – Salvador /BA.
Quando: Dias 3, 10, 24 e 31 (sábados), de outubro, das 9h às 13h.
Investimento: Consultar o coordenador. 
Informações: (71) 8122-7231 /carlossouzamkt@hotmail.com