FÍSICOS QUE POSTULARAM EXISTÊNCIA DA "PARTÍCULA DE DEUS" GANHAM O NOBEL



Os cientistas que teorizaram o bóson de Higgs, a partícula elementar que confere massa a outras partículas, são os vencedores do Prêmio Nobel de Física deste ano. O escocês Peter Higgs, 84, e o belga François Englert, 80, dividirão US$ 1,25 milhão concedido pela honraria.

Apelidado de "partícula de Deus", o bóson de Higgs teve sua existência confirmada em julho do ano passado, no Cern, o maior laboratório de física do mundo. A descoberta era a peça que faltava no Modelo Padrão, a teoria vigente da física de partículas.

A indicação para o Nobel, neste caso, foi um tanto quanto complicada porque o Englert e Higgs não foram os únicos a teorizarem o bóson. Robert Brout (1928-2011) também deu contribuições fundamentais a teoria, e uma segunda geração de físicos também teve atuação.

O anúncio do prêmio atrasou mais de uma hora ontem, porque o comitê deliberativo do Nobel ainda estava reunido na hora da divulgação.

Peter Higgs recebeu a notícia ontem em casa e não concedeu entrevista coletiva.

"Espero que esse reconhecimento dado à ciência fundamental ajude a aumentar a consciência sobre o valor da pesquisa de céu aberto", disse, em um breve comunicado transmitido pela Universidade de Edimburgo.

A declaração do cientista escocês é uma menção à necessidade de se produzir ciência que não esteja embasada na realidade do presente, e explora terrenos mais especulativos e abstratos.





Comentários