SEXO EM EXCESSO MATA MACHOS DE ESPÉCIES DE MARSUPIAIS

Um novo estudo sugere que algumas espécies de marsupiais copulam com tanto vigor e intensidade que a atividade literalmente os mata.

Os cientistas dizem que os machos morrem em grande número após acasalarem com tantas fêmeas quanto possível em sessões sexuais que podem durar até 14 horas de uma só vez.

Um fator-chave desse custoso processo é o comportamento promíscuo das fêmeas, que têm sua época de reprodução todas no mesmo período do ano.

A reprodução suicida, ou semelparidade, é bem conhecida em muitas espécies de plantas e de peixes, mas é rara em mamíferos.

O novo estudo, divulgado na publicação científica PNAS, analisa o comportamento de acasalamento de 52 espécies de pequenos marsupiais comedores de insetos na Austrália, na América do Sul e em Papua Nova Guiné.

Eles verificaram que para alguns desses animais, como os antequinos, os fascogales e os kaluta, as tentativas dos machos de garantir sua descendência acaba custando suas vidas.



Comentários