AMANHÃ TEM TROVAS NA ACADEMIA DE POESIA

Nesta quarta-feira, a partir das 19h, a Academia Brasileira de Poesia – Casa de Raul de Leoni, realizará, na Casa Claudio de Souza (Praça da Liberdade, 247), mais uma palestra dentro de seu Ciclo. Quem vai proferir é o acadêmico titular Prof. Roberto Francisco, também presidente da União Brasileira de Trovadores (UBT)- seção Petrópolis.

A data é bem propícia, pois no dia 18 de julho comemora-se o Dia do Trovador, esse gênero literário que tem grande adesão em todo o país e compreende um poema de 4 versos com sete sílabas poéticas, geralmente rimando o primeiro com o terceiro verso e o segundo com o quarto, regra obrigatória para todos os concursos realizados pela UBT. 
A temática das trovas é variada, sendo mais conhecidas as trovas líricas, filosóficas e humorísticas. 
Roberto Francisco, presidente da seção Petrópolis desde a sua fundação, nos anos 60, é exímio conhecedor do tema e tido, para muitos, o melhor orador da cidade.
Em Petrópolis, nos velhos tempos, ocorreram alguns festivais que tinham como inspiração os Jogos Florais, concursos anuais de trovas ocorridos em todo o país, sempre na Primavera. As festas petropolitanas aconteciam no Recanto dos Trovadores, nome dado, antigamente, a praça da Rua D. Pedro, hoje Wolney Aguiar. Desse tempo, ainda na praça, a instalação de concreto que guarda resquícios dos velhos azulejos onde eram impressas as trovas vencedoras de cada ano. Tal iniciativa sempre ocorreu na feliz parceria de realização do Prof. Roberto Francisco e do saudoso Paulo Santos, falecido presidente da Escola de Música Santa Cecília, que muito contribuiu para a cultura de nossa cidade. 
Com certeza, será um grande encontro entre acadêmicos e o público interessado, que pode comparecer sem prévia inscrição, desfrutando de entrada gratuita. 
E, no dia seguinte às 10h, dia 18, se não chover, o encontro será no antigo e eterno para os poetas, Recanto dos Trovadores. E a comemoração estará completa. 
 Algumas trovas:

Estendido sobre a cama
na brancura do lençol, 
que saudade o meu pijama
sente do teu “baby doll”.
(Carlos Guimarães)

Pra aliviar meu sufoco
uma coisa é necessária:
Que um “fantasma” ponha um troco
em minha conta bancária!...
(Santos Teodósio –MG)

Se as sogras más desta terra
se unissem em batalhão,
venceriam qualquer guerra
sem fuzil e sem canhão.
(P. de Petrus – RJ)

Leio, no livro de História
da minha longevidade,
que o coração tem memória...
e o nome dela é saudade!
(Onildo de Campos)

Por  Catarina Maul 

Comentários

  1. Fui aluna do E.P.A - Educandário Professores Associados , onde o Prof. Roberto era diretor. Só trago de lá boas lembranças e muitas saudades.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Participe, opine, colabore, construa. Faça parte desse "universo".