BIANCA COMPARATO E REGINA BRAGA PROTOGONIZAM NOVO FILME DE VICENTE AMORIM, ‘IRMÃ DULCE’



As atrizes Bianca Comparato e Regina Braga serão a protagonista- novo longa de Vicente Amorim – quando jovem e a partir dos 45 anos no filme “Irmã Dulce”. Produzido por Iafa Britz (“Se eu fosse você”, “Nosso Lar” e “Minha Mãe é uma Peça”), o longa é rodado na cidade de Salvador e têm as filmagens para encerrar no dia 26 de maio,data  em que Irmã Dulce faria 100 anos.


Irmã Dulce construiu uma obra social sem igual no Brasil, com creches, hospitais e centros educacionais. Conhecida como “Anjo Bom da Bahia”, ela impressiona por sua capacidade de conviver com todos os credos e todas as classes sociais, dos poderosos aos marginalizados. Seu perfil é o de uma mulher quase subversiva na sua ação, capaz de quebrar paradigmas pelo seu amor ao outro. Irmã Dulce lutou contra todo tipo de preconceito e sua doença respiratória incurável para, como ela mesmo dizia, fazer o que deveria ser direito básico de qualquer cidadão.

Irmã Dulce foi beatificada em 2011 e segue o processo de canonização que pode torná-la a primeira santa brasileira. Mas, na terra de Todos os Santos, ela cruzou as fronteiras religiosas, sendo respeitada e venerada por toda a população. Suas ações e capacidade de mobilização impactaram gerações, a despeito de credos ou mesmo da falta deles. Em 1988 foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz por seu trabalho incansável às populações carentes.

- Todos fora já ouviram falar de Irmã Dulce. Quando me envolvi no projeto, eu estava nesta categoria – explica a produtora Iafa Britz. – Hoje, depois de ter estudado e conhecido a sua história, de uma mulher forte, capaz de dobrar de políticos e doutores a bandidos, sou uma apaixonada por Irmã Dulce. Qualquer um que entra em contato com a história dela sai diferente dessa experiência. É esse sentimento que quero compartilhar.


Para Vicente Amorim, o projeto, baseado em fatos reais como vários de seus filmes, tem características próprias que fazem dele um desafio:

- A força de um filme sobre Irmã Dulce hoje é evidente. Os novos rumos que a Igreja Católica toma com o Papa Francisco, discutindo contradições do capitalismo e pregando a necessidade do clero estar nas ruas , demonstram a atualidade do ativismo de Dulce tanto do ponto de vista religioso quanto humanista. Isto é claro para todos, católicos ou não – acredita Amorim.


Sinopse de “Irmã Dulce”



“Irmã Dulce” conta a emocionante história da mulher que, indicada ao Nobel, chamada em vida de “Anjo Bom da Bahia” e beatificada pela Igreja, nunca se importou com títulos. A história de uma mulher cujo único objetivo era confortar os necessitados, cuidar dos doentes, amparar os miseráveis – a qualquer custo, com a ajuda de quem fosse. Capaz de atravessar Salvador de madrugada para dar colo a um menino de rua ou de pedir verba a um político em pleno palanque, Irmã Dulce enfrentou inimigos externos – o preconceito, o machismo, os dogmas – e um interno: uma doença respiratória incurável. Passou por eles com obstinação, alegria, amor e fé e construiu uma obra que, até hoje, só cresce, como cresce a devoção por ela. O filme Irmã Dulce conta de forma verdadeira e emocionante a história de uma mulher que reúne três das nossas qualidades definidoras como brasileiros: fé, alegria e obstinação.







------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Registrando Bianca em momento de visita as Obras Sociais de Irmã Dulce  - 22.05.2014.


Bianca Camparato/Cymar Gaivota

Bianca Camparato/Cymar Gaivota


Comentários