MINEIRO AFFONSINHO CHEGA A SALVADOR COM TURNÊ “ZAGUE E ZEIA”



Comemorando 20 anos da elogiada e produtiva carreira solo, o cantor, compositor, guitarrista, produtor e ator (foi o César Prates na minissérie JK - Rede Globo) o mineiro Affonsinho cai na estrada para se encontrar com os fãs. A turnê batizada “Zague Zeia” chega a Salvador dia 29/5, depois de passar por Belo Horizonte, Brasília e Rio de Janeiro. No repertório, músicas pinçadas dos 11 álbuns lançados pelo artista, com destaque para o que batiza a turnê e os dois que chegaram às lojas em 2013: “Trópico de Peixes” e “Depois de Agora”.

Como em trabalhos anteriores, que contaram com participações de nomes como Fernanda Takai, Vander Lee e Sandra de Sá, “Zague Zeia” (2011)  abriu espaço para cinco talentos da música mineira: Jennifer Souza, Mariana Nunes, Pedro Morais, Kadu Vianna e Flávio Henrique. A música “Ovni” ganhou uma animação super bacana: http://www.youtube.com/watch?v=ihR4yfC3758&feature=player_embedded

Em “Trópico de Peixes” (2013), Affonsinho dividiu os vocais com dois parceiros do disco, Celso Fonseca e Frederico Heliodoro, e três cantoras: a carioca-americana Alexia Bomtempo, a paulista Verônica Ferriani e a mineira Marina Machado, que já havia gravado “Vagalumes” e “Disco Voador”, dois grandes sucessos de Affonsinho. Todas as 12 faixas desse disco ganharam clipes no YouTube.

“Depois de Agora” (2013), por sua vez, traz outras nove faixas autorais e inéditas e uma pegada diferente dos oito álbuns anteriores de Affonsinho. É o primeiro disco folk do artista, que define seu som até então como bossa pop com o “feeling” de blues, já que não abandona a guitarra, seu instrumento principal. “Tentei mergulhar em todas influências de James Taylor, Neil Young, Beatles, George Harrison, Bob Dylan, Cat Stevens, Jim Croce e ver o que eles tinham em mim”, conta. Conseguiu um resultado coeso, coerente, com clima anos 60/70 e uma pegada pop que ultrapassa o estilo popsambalanço dos trabalhos mais recentes. Péricles Garcia é o único convidado desse disco, na música “Mágica”.

Mais sobre Affonsinho

Affonsinho é cantor, compositor, instrumentista, produtor e também ator (foi o César Prates na minissérie JK - Rede Globo). Na década de 80, foi um dos fundadores do grupo Hanói Hanói (dos hits “Totalmente Demais” e “Rádio Blá”). É autor de “Gentil Loucura”, primeiro sucesso do Skank (ele foi professor de guitarra de Samuel Rosa). Também é dele “Enfeitiçado”, que ficou famosa na voz de Aline Calixto (Warner). Aliás, não é de hoje que as cantoras descobriram o talento deste compositor, um dos mais requisitados pelas novas intérpretes. Affonsinho estudou na famosa Berklee College of Music (USA) e é considerado um dos melhores guitarristas do Brasil. Foi eleito o melhor instrumentista do Festbelô 2000 e agraciado com o Troféu ProMusica, na categoria de melhor cantor.

A turnê “Zague Zeia” tem o patrocínio da Cemig, através da Lei Rouanet.

DISCOGRAFIA:

“Zum Zum” (2001), “Belê” (2006), “Meu Plano” (2009) e “Voz e Viô” (2010), lançados simultaneamente no Brasil (Dubas/Universal) e no Japão (NRT). E os independentes “Tudo Certo?” (1994), “Sambando Assim Meu Rock'n'Roll” (1998),“Zague e Zeia” (2011), “Trópico de Peixes” (2013) e “Depois de Agora” (2013). Como intérprete, Affonsinho lançou “Esquina de Minas” (2002) e “Esquina de Minas – Dois Lados da Mesma Viagem” (2003), com versões muito próprias do Clube da Esquina.

Aqui vão alguns links de clipes:





Dia 29 de maio, quinta-feira, às 20h
Teatro do IRDEB, Alto do Sobradinho, Federação.
Ingressos a R$ 20,00 e 10,00 (meia)
Venda no local, no dia do show, a partir das 19h 
Produção local – Del Rios: (71) 9928-0415 



Assessoria de Imprensa – Doris Pinheiro: (71) 8896-5016 
Affonsinho: (31) 9607-3739

Comentários