PROGRAMAÇÃO BTCA - BALÉ TEATRO CASTRO ALVES





No Mês da Dança, o Balé Teatro Castro Alves, companhia oficial de dança do Estado da Bahia, promove vasta programação com espetáculos de seu repertório e projetos especiais.

A lista começa com 1PORUMPRAUM, no dia 1º, às 16h, no jardim suspenso do TCA, gratuito. Trata-se de uma performance de solos feitos em cabines individuais, criada pelo diretor artístico do BTCA, Jorge Vermelho, sob a supervisão da coreógrafa Renata Melo.

Depois, vem A Quem Possa Interessar, nos dias 4 e 5, às 15h, e nos dias 6 e 7, às 20h, na Sala do Coro do TCA, também com entrada franca. O espetáculo foi concebido a partir da troca de experiências dos membros da companhia com o renomado coreógrafo goiano Henrique Rodovalho, convidado especialmente para o trabalho.

No Domingo no TCA, projeto que apresenta espetáculos na Sala Principal do TCA com ingressos no valor de R$ 1 (inteira), haverá uma sessão no dia 7, às 11h, de Ou Isso, com coreografia de Jomar Mesquita. A montagem, inspirada no universo poético de Manoel de Barros, ainda volta a cartaz nos dias 25 e 26, às 15h, e 27 e 28, às 20h, na Sala do Coro, com entrada franca.

Também na Sala do Coro e gratuito, tem o infanto-juvenilPedro e o Lobo, nos dias 11 e 12, às 15h, e 13 e 14, às 17h e às 19h. Esta primeira montagem do BTCA voltada para o público de crianças e adolescentes traz ao palco a famosa fábula musical do compositor russo Sergei Prokofiev, onde cada personagem é representada por um instrumento musical diferente.

Já no dia 17, Jorge Vermelho, diretor artístico do BTCA, participa do Conversas Plugadas e fala sobre o seu trabalho à frente da companhia com 32 anos de estrada e sobre a sua trajetória artística.

Na Sala do Coro, às 19h, gratuito. Daí chega Essa Tempestade, nos dias 18 e 19, às 15h, e 20 e 21, às 20h, com entrada franca, na Sala do Coro. Livre adaptação de A Tempestade, de William Shakespeare, a montagem é uma coprodução Brasil-Bélgica, assinada pelo coreógrafo cearense radicado na Bélgica, Cláudio Bernardo, e conta uma história de vingança e amor, sobre um homem que vive exilado numa ilha.

Para completar, o projeto BTCA Memória traz à cena uma dobradinha de espetáculos do BTCA, agora encenados em parceria com alunos da Escola de Dança da FUNCEB: Pangea e Sertania. Pangea, do premiado coreógrafo mineiro Tíndaro Silvano, faz a abertura. Criado especialmente para o BTCA em 1997, a remontagem é protagonizada por 20 jovens bailarinos. JáSertania, coreografado por Lia Robatto e que teve sua versão original dançada pelo BTCA há 30 anos, retorna aos palcos com nova interpretação e música ao vivo executada pela Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA).

A própria Lia conduziu o trabalho com 25 alunos da Escola de Dança para recompor a coreografia, que é uma representação poética do imaginário simbólico da cultura dos Sertões, inspirada em sinfonia de Ernst Widmer e no cordel do século XIX Boi Misterioso. Dias 20 e 21 de abril, às 20h, na Sala Principal, ingresso a R$ 8 (inteira).


Teatro Castro Alves
Diversas datas e horários
Entre Grátis e 8




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe, opine, colabore, construa. Faça parte desse "universo".