GAIVOTA CONHECE UM POUCO DA CASA DA TORRE- CASTELO DE GARCIA D'ÁVILA

CLICK NAS FOTO PARA AMPLIA-LA


A Casa da Torre de Garcia d'Ávila, Castelo de Garcia d'Ávila, Torre de Garcia d'Ávila, Forte de Garcia d'Ávila ou Casa da Torre é uma construção histórica localizada na praia do Forte, no município de Mata de São João, no estado da Bahia, no Brasil. Erguida sobre uma elevação, foi, originalmente, denominada por seu proprietário como Torre Singela de São Pedro de Rates.

O BLOG DA GAIVOTA  esteve visitando o local, domingo ( 24)  e aproveitou para registrar alguns cenários deste riquíssimo lugar.
Origens

A Casa da Torre tem suas origens na iniciativa de Diogo Álvares Correia, o Caramuru (c. 1475-1557), casado com Catarina Álvares, a Paraguaçu (1495-1583), uma tupinambá batizada na França com o nome de Catarina do Brasil - o primeiro casal cristão na colônia brasileira. A descendência de ambos, através de Diogo Álvares Dias, filho de Genebra Álvares e Vicente Dias, natural de Beja, entrelaçou-se não apenas na progênie (Isabel de Ávila) de Garcia d'Ávila com a indígena Francisca Rodrigues, como na geração de Jerônimo de Albuquerque com a filha da aldeia de Olinda, Muira-ubi - Maria do Espírito-Santo Arcoverde. Vinculou-se, mais tarde, com os descendentes de Domingos Pires de Carvalho, casado com Maria da Silva; com a geração de Felipe Cavalcanti casado com Catarina de Albuquerque e com a descendência do casal José Pires de Carvalho - Tereza Vasconcellos Cavalcanti, de Albuquerque Deus-Dará, formando o arcabouço da aristocracia do Recôncavo Baiano.

A Casa da Torre foi o embrião de um grande morgado no estilo feudal que se iniciou na capitania da Bahia ainda no século XVI e que, durante 250 anos, expandiu-se ao longo das gerações dos seus senhores pela quase totalidade da Região Nordeste do Brasil à custa de guerras contra os índios, com escravização destes para trabalharem nas plantações de cana-de-açúcar, nos engenhos de açúcar e nas criações de bois, cavalos emulas (todos estes animais eram utilizados para transporte em pequenas distâncias e como força de tração nos engenhos). A expansão também foi motivada pela busca por minas de prata, embora só tenham sido encontradas minas de salitre.1 Constitui-se no centro de um expressivo poder militar no período colonial. De 1798 em diante, esteve envolvido nas lutas pela Independência do Brasil. Muitos dos seus membros foram agraciados com títulos de nobreza tanto por Pedro I do Brasil como por Pedro II do Brasil.

Além de seu papel de vulto no desbravamento de origem européia do sertão nordestino e na evolução territorial do Brasil, a Casa da Torre foi pioneira na pecuária na região e está associada ao trânsito no chamado Caminho da Bahia, que abasteceu as Minas

Conheça a história completa aqui:




Auditório e Objetos resgatados. 
Fundação Castelo Garcia D’Ávila. Praia do Forte, BA. 










Fotografia: Cymar Gaivota/Cassandra B.Azevedo
Dispositivo móvel




Comentários