5 LIVROS BRASILEIROS QUE CAUSARAM POLÊMICA




O Brasil tem grandes autores e histórias literárias muito ricas. Algumas delas envolvem temas polêmicos que chocaram a sociedade quando foram publicadas e que ainda são tabu hoje em dia. De  romances homossexuais até crimes como racismo e estupro, não faltam personagens brasileiros para representar temas polêmicos. Veja 5 obras da literatura brasileira que abordam assuntos controversos. E, no final, deixe sugestões de outros livros polêmicos escritos no país.

1. ”Caçadas de Pedrinho”, Monteiro Lobato

“Caçadas de Pedrinho” foi publicado em 1933, contando a história do pessoal do Sítio do Picapau Amarelo em busca de uma onça-pintada. A polêmica a respeito do livro e do autor, entretanto, só surgiu muitos anos depois. Em 2010, quando o Conselho Nacional de Educação sugeriu que o MEC proibir retirasse o livro das bibliotecas de escolas públicas, com acusações de que o texto de Lobato é racista. Trechos como: “Tia Nastácia, esquecida dos seus numerosos reumatismos, trepou que nem uma macaca de carvão” e “Não vai escapar ninguém — nem Tia Nastácia, que tem carne preta”, comprovariam a tese polêmica. Porém, após muita discussão e até briga na justiça, o livro continua sendo distribuído nas escolas.

2. “Bom-Crioulo”, Adolfo Caminha


Se beijo gay é polêmica até hoje e não pode aparecer na novela, imagina em 1895, quando Adolfo Caminha publicou o livro “Bom-Crioulo”. A história é sobre dois marinheiros que namoram, com direito a descrição de atos sexuais entre os dois. Para completar, um deles era negro – romances entre negros e brancos era outro tema controverso na época. Em 1937, a Marinha conseguiu um embargo impedindo a reedição do livro, que só pode ser publicado novamente 90 anos depois.

3. “O Cortiço”, Aluísio de Azevedo


Um dos exemplos do naturalismo na literatura brasileira, “O Cortiço”, de Aluísio de Azevedo, publicado em 1890, chocou a sociedade ao trazer vários temas polêmicos. A obra contava a história do dono de um cortiço que queria enriquecer e dos habitantes do local, corrompidos pelo ambiente em que viviam. Entre os tabus, uma relação homossexual entre duas mulheres, madrinha e afilhada, descreve o ato sexual entre as duas. Para completar, a madrinha era prostituta e alicia a afilhada e assumir a profissão.

4. “Asfalto selvagem – Engraçadinha, seus amores e seus pecados”, Nelson Rodrigues


Antes de ser uma série de TV com a Cláudia Raia,”Engraçadinha, seu amores e seus pecados”, foi um folhetim publicado entre 1959 e 1960 e depois lançado como livro. Como de costume nas tramas de Rodrigues, a polêmica vida sexual da personagem principal é o mote da história. Incesto, homossexualidade, traição: “Asfalto Selvagem” não nos poupa de tabus. Além disso, Nelson Rodrigues é um autor polêmico por natureza. Suas frases machistas, suas críticas à sociedade, suas ideias sobre o amor, tudo isso gera muita discussão em torno de suas obras.

5. “Capitães de Areia”, Jorge Amado


Publicado em 1936, Capitães de Areia é um dos clássicos do escritos baiano, que conta a história de meninos que vivem pelas ruas. O livro fala de abandono, pobreza, criminalidade e sincretismo religioso. Ao mostrar a realidade dos meninos de rua, Amado também fala dos estupros cometidos pelos integrantes da gangue, que têm dificuldade em perceber que estão fazendo coisas erradas.