CIENTISTAS CRIAM OLHO ARTIFICIAL QUE SIMULA VISÃO DE MOSCAS

 

Tecnologia permite uma visão panorâmica sem qualquer distorção e o registro, simultâneo, do movimento em várias direções


Cientistas europeus criaram um olho artificial inspirado no das moscas drosófilas. Nos insetos, o olho é composto por centenas de detectores de luz e permite que o animal acompanhe, simultaneamente, uma série de movimentos rápidos em várias direções. O dispositivo artificial deve oferecer a cientistas e engenheiros uma visão panorâmica sem distorções. O estudo que descreve a tecnologia foi publicado nesta segunda-feira no PNAS, periódico da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

A maioria das pesquisas feitas até agora com o intuito de criar um olho artificial como esse esbarravam na dificuldade de alinhar com precisão os detectores de luz e as microlentes sobre uma superfície curva de 180 graus. Desta vez, os pesquisadores superaram este problema ao desenvolver um olho composto de três camadas: lentes microscópicas, detectores de luz que imitam os circuitos neurais da mosca e um circuito embutido flexível, que permite programar o tratamento dos sinais luminosos. Todas as camadas são encurvadas, cortadas e organizadas de modo a criar um mecanismo compacto e flexível.

O protótipo, denominado CurvACE (Olho Composto Curvo Artificial, na sigla em inglês), produz uma visão panorâmica sem distorções e em alta definição, capaz de se adaptar às diferentes intensidades de luz do ambiente.

Visão eletrônica — O protótipo busca simular ao máximo a visão da mosca, que se baseia em um conjunto de múltiplas imagens que permitem acompanhar os mínimos movimentos, oferecendo um campo de visão amplo, com uma profundidade maior do que o olho humano ou qualquer câmera atual permitem.

Segundo seus criadores, a tecnologia pode ter diversas aplicações técnicas, principalmente em sistemas de detecção tridimensional, como para evitar colisões em solo ou no ar. O dispositivo CurvAce, por exemplo, já está sendo aplicado em alguns robôs aéreos, como drones, e em câmeras de vigilância e segurança.

Os criadores da tecnologia dizem que o olho artificial é ainda mais versátil e que bastaria juntar dois destes dispositivos, um de costas para o outro, para obter uma visão de 360 graus.

O CurvACE foi concebido por cinco equipes de pesquisa europeias, entre elas uma de cientistas da Escola Politécnica Federal de Lausanne, na Suíça, e outra do Instituto de Ciências do Movimento, ligado ao Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS/AMU) francês.



Comentários