RICARDO BREIM: PAULISTANO NOTA DEZ



O engenheiro eletrônico e pianista profissional, Ricardo Breim – que integrou o Grupo Rumo nos anos 80 -, leva música a jovens que não têm recursos para bancar um curso, com o projeto Jovens Músicos Educadores
Quando jovem, o paulistano Ricardo Breim achava o mundo da música muito distante, quase inacessível. Tanto é que acabou em uma área completamente oposta, cursando a faculdade de engenharia eletrônica. Recebeu o diploma, mas nunca exerceu a profissão. Aos poucos, com uma conversa aqui e outra ali, conheceu o universo das partituras, foi se aprofundando no negócio e virou um pianista profissional.
No fim dos anos 80, tocou no Rumo, um dos principais grupos da vanguarda paulistana. Paralelamente, iniciou uma carreira de professor na área. Fundou em 1985 oEspaço Musical, na Vila Madalena, escola que se tornou referência na cidade nesse mercado, com um modelo didático bem diferente do tradicional. Lá, um jovem aprendiz pode brincar com vários instrumentos antes de optar por se aprofundar em um deles. A entidade atende hoje 250 estudantes, que pagam uma mensalidade a partir de 263 reais. "A música é algo que pode ser aprendido por todos, não depende de um talento nato", define Breim.
A missão do professor atualmente é levar essa possibilidade a uma parcela de pessoas que não tem dinheiro para bancar um curso do gênero. Trata-se do projeto Jovens Músicos Educadores, viabilizado por leis de incentivo e patrocinado por uma empresa. Durante seis semestres, os dezesseis alunos carentes da primeira turma, iniciada em agosto do ano passado, dedicam parte de sua rotina às aulas. São doze disciplinas, ministradas por nove professores, incluindo o próprio Breim.
Os aprendizes têm também a responsabilidade de passar adiante os ensinamentos. Eles vão a escolas públicas da cidade de Franco da Rocha, na região metropolitana, a fim de compartilhar com a garotada de 7 e 8 anos o que aprenderam. Ao todo, cerca de 2 400 crianças de sete colégios são beneficiadas. "É fascinante ver o crescimento delas", conta Breim. "Eu adoro música, respiro isso."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe, opine, colabore, construa. Faça parte desse "universo".