CONCENTRAÇÃO DE CO2 NO AR ATINGE MARCA HISTÓRICA NOS ESTADOS UNIDOS





Nível passou de 400 partes por milhão pela 1ª vez em estação havaiana.
Gás é emitido na queima de combustíveis e provoca mudança climática.




O volume de CO2 na atmosfera atingiu nesta sexta-feira (10) uma marca histórica nosEstados Unidos. Pela primeira vez, o índice de dióxido de carbono no ar ficou acima de 400 partes por milhão (ppm) na estação de Mauna Loa, a mais antiga do Havaí. O número significa que, para cada milhão de moléculas existentes no ar, 400 são de CO2, principal gás ligado ao efeito estufa.
saiba mais
“É importante principalmente como um símbolo que marca o progresso constante do aumento do dióxido de carbono na atmosfera”, afirmou o pesquisador James Butler, da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA, na sigla em inglês), órgão do governo dos EUA que fez a medição.

A marca de 400 ppm de CO2 é usada como um limite nas negociações do clima das Nações Unidas. Já há alguns anos, cientistas do clima têm dito que a concentração precisa ficar abaixo de 350 ppm; caso contrário, a temperatura poderia subir, em média, dois graus Celsius até o fim do século.

A medição do dióxido de carbono é feita em diferentes pontos do planeta, mas Mauna Loa é considerada uma estação referência pela NOAA. O resultado divulgado nesta sexta-feira foi, na verdade, registrado na quinta. Dois instrumentos separados registraram a marca de 400,3 ppm de CO2.

Há pelo menos 800 mil anos – e, possivelmente, há 5 milhões de anos –, a concentração de carbono na atmosfera não atingia um nível tão alto. Quando isso ocorreu, a temperatura do planeta também subiu.

O dióxido de carbono fica na atmosfera por centenas de anos. Seu aumento recente está associado à queima de combustíveis fósseis – carvão e derivados do petróleo. Antes da revolução industrial, a concentração flutuava entre 180 ppm e 280 ppm.

Fonte:



Comentários