PUBLICAÇÃO REÚNE UMA DÉCADA DE HUMOR E OLHAR CRÍTICO DE ANGELI




Coletânea 'O Lixo da História' reúne melhores charges políticas de Angeli, organizadas em ordem cronológica, de 2001 a 2012

E se os conflitos que atravessaram o Oriente Médio após 11 de setembro fossem relatados em cartuns? E se não fosse um cartunista qualquer a desenhá-los? Pois é, não passa um dia sem que o paulistano Angeli, 56 anos, um dos maiores do país, deixe de ilustrar o que acontece de mais relevante no mundo nas páginas do jornal Folha de S.Paulo, onde publica há quase 40 anos.

Aos que não têm acesso ao periódico paulista um alento: o selo Quadrinhos da Cia lança agora a coletânea O Lixo da História (R$ 55/300 páginas), com o melhor das charges políticas de Angeli, organizadas em ordem cronológica, de 2001 a 2012.

Estão lá no livrinho críticas ao governo Bush, às guerras do Afeganistão e Iraque, ao conflito sem fim entre Israel e Palestina e até aos agitos recentes entre Egito e Síria. Ano após ano, não houve crise ou escândalo que não tenha passado pelo escrutínio aguçado e humor implacável do artista - o Brasil aparece pouco, porém, nesta retrospectiva. A verdade é que Angeli trabalha a serviço da avacalhação ampla e irrestrita e a política, claro, não pode deixar de entrar neste esquema. "Tento fazer a caricatura mais cruel da política. Não sou econômico no desenho. É gostoso acertar o tiro, mas o que a gente quer é estancar o sangue", explica o criador de personagens antológicos, símbolos dos anos 80, como Rê Bordosa e Bob Cuspe.

O Lixo da História
Autor - Angeli
Editora - Quadrinhos na Cia
Valor - R$ 55 (300 páginas)



Saiba mais:


Comentários