APÓS 37 ANOS, MACACO TRATADO COMO FILHO É TIRADO DA FAMÍLIA EM SÃO CARLOS



Polícia Ambiental disse que apenas cumpriu determinação da Justiça.


Dona do animal passou mal e teve que ser levada ao pronto-socorro.

O macaco-prego Chico, que há 37 anos vivia com uma família de São Carlos (SP), foi retirado do local, na manhã deste sábado (3), pela Polícia Militar Ambiental após denúncia. O animal se agarrou ao pescoço da dona e ofereceu resistência ao ser levado da casa. Elizete Farias Carmona, de 71 anos, que o tratava como filho, passou mal e teve que ser levada ao pronto-socorro.

De acordo com Fernando Magnani, biólogo deSão Carlos e vice-presidente da Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil, o macaco pode oferecer resistência para se adaptar após tanto tempo domesticado.

“A reintegração de primatas é possível se houver acompanhamento técnico específico e investimento. E se for apresentado a um grupo como o seu, o sofrimento pode ser reduzido, mas se não conseguir se reintegrar, ele pode sofrer muito”, explicou.

Segundo o tenente da Polícia Militar Ambiental Leandro José Oliveira, que acompanhou a retirada do macaco, em março foi dada uma licença provisória para que Chico ficasse com Elizete até que fosse encontrado um lugar adequado para ele, o que aconteceu agora.

Ainda segundo o policial, como a idosa não tem documentos que comprovem o direito de manter o macaco, não haveria como ficar com Chico. A dona de casa foi advertida e vai responder pelo crime de manutenção de animal silvestre em cativeiro. Chico foi levado para a sede da Associação de Proteção aos Animais (APA), em Assis, que fica a 330 quilômetros de São Carlos.

A reportagem do G1 não encontrou nenhum representante da APA de Assis para comentar o trabalho de readaptação.


Saiba mais dessa história:


Comentários