BTCA - IRRECUSÁVEL E SOB RASURA

 
(Foto: Maurício Serra)

No espetáculo Irrecusável, as referências afro-latinas, ibéricas, nordestinas e orientais são inspirações para o desejo de dançar.



Balé Teatro Castro Alves (BTCA) apresenta um trabalho investigativo coordenado por Clara Trigo com bailarinos da companhia. Batizado de Irrecusável, o espetáculo nasce do compartilhamento do desejo de dançar. O espetáculo pesquisa o movimento a partir de referências afro-latino-íbero-nordestinas, passando por outras tradições musicais com as quais os dançarinos se sentem motivados a dançar. 

A ideia é improvisar livremente a partir do "desejo irrecusável" de movimento em cada um. Para isso, o processo tratou de mapear e explicitar alguns caminhos, trazendo à tona interseções insuspeitas entre o Flamenco e o Samba de Roda; a Capoeira e o Tango; o Funk e Danças de Orixás; Danças Árabes, Arrocha e Frevo; e tantos outros elos difíceis de nomear, sem qualquer compromisso de fidelidade com as tradições em questão.

"Irrecusável” traz uma trilha sonora original composta e executada por Duda dos Anjos e Neila Kadhí. A proposta do espetáculo, segundo a coreógrafa Clara Trigo - que possui vasta experiência como dançarina, coreógrafa, professora e pesquisadora de movimento - é o compartilhamento do desejo de dançar.“Pesquisamos movimento a partir de referências afro-latinas, ibéricas, nordestinas e até orientais, passando por múltiplas tradições musicais com as quais os dançarinos se sentem motivados a dançar”.

Mas a coreógrafa avisa que “nesta obra de trânsitos constantes e livres associações”, não há explicitamente “o flamenco”, “a capoeira”, ”o maracatu”, “o samba”, “a salsa” ou “o tango”. Na cena, ela exemplifica, a movimentação de braços materializa conexões entre arquétipos de beleza e de luta, mesclando referências yorubanas, brasileiras e ibéricas. “Nos interessa tornar visível uma existência cultural necessariamente híbrida, atravessada e em constante transformação, na qual nos constituímos”, conta Clara. O espetáculo Irrecusável se apresenta na Sala Principal do TCA, às 20h.

Acompanhando a reforma do Teatro Castro Alves (Novo TCA) iniciada no final do ano passado, o Balé também realiza neste início de 2014 o projeto “Sob Rasura”, em que se lança na investigação acerca das “reformas” e transformações físicas e de pensamentos experimentados por seus bailarinos ao longo desses 33 anos. “Depois de tanto tempo atuando, dançar sob novas perspectivas também interessa ao BTCA”, afirma Jorge Vermelho. Idealizado por Luiza Meireles, com filmes de Alex Soares, preparação corporal de Luiz Roberto da Silva e programação visual deCamilo Fróes, o projeto será apresentado ao público sob uma nova perspectiva: filme de dança + filme da dança realizado por meio da técnica de animação stop motion + flip book (livro de dedo). Com os dois filmes de dança e o flipbook filmados e fotografados no canteiro de obras do TCA, o BTCA vai a campo experimentar suas próprias reformas e transformações.

O projeto video-dança Sob Rasura, será lançado na Sala Principal do TCA, também no dia 30/04 (quarta-feira), às 20h.

Data: 30/04/2014
Horário: 20:00
Valor: Gratuito.


Comentários