SESAMOIDITE: ENTENDA MAIS SOBRE A DOENÇA DA RAINHA DOS BAIXINHOS


A inflamação surge em um dos ossos dos pés e resulta em fortes dores que podem acometer mulheres e atletas


Apesar de termos comemorado o aniversário da Rainha dos Baixinhos com umasérie de curiosidades, nosso artigo especial sobre a Xuxa não abordou o problema que a estrela já tem apresentado há alguns meses.

Quem acompanha a carreira da loira deve ter notado que ela tem aparecido na televisão, em revistas e em eventos vestindo uma bota ortopédica. A explicação para isso é que a rainha está tratando um caso de sesamoidite – que a inflamação dos sesamoides, dois pequenos ossos localizados logo abaixo do dedão do pé.

Pequenos, esses ossos funcionam como um ponto de apoio para os tendões e ajudam na distribuição do peso quando pisamos ou caminhamos. A inflamação da região acontece quando causamos algum tipo de trauma no local por causa do uso excessivo de sapatos de salto alto e calçados desconfortáveis ou pelo desgaste causado por certas atividades físicas.

O problema pode afetar pessoas de qualquer idade, mas vale ressaltar que mulheres e atletas estão mais propensos a sofrer com a sesamoidite. Outra condição que costuma estar associada à inflamação é o hábito de andar, dançar ou correr na ponta dos pés, além da doença ser mais comum entre as pessoas que apresentam o “pé cavo”, que é aquele tipo de pé que possui a curvatura elevada.

O tratamento envolve a adaptação dos calçados, fisioterapia, introdução de medicamentos anti-inflamatórios e a interrupção de qualquer atividade que cause impacto nos pés. Se o caso for realmente grave, as dores podem gerar muitos desconfortos, então é recomendável imobilizar o pé. Também é possível realizar uma cirurgia para a retirada definitiva do osso sesamoide necrótico, que é um procedimento conhecido por sesamoidectomia.

A lição que fica para mulheres que não abrem mão do salto alto e para aqueles que às vezes exageram no futebol ou na corrida é ficar sempre atento aos sinais do corpo e procurar um médico assim que sentir qualquer dor ou desconforto. Nunca se esqueça daquele velho ditado: é melhor prevenir do que remediar.





Comentários