PESQUISADORES PRODUZEM CABELO A PARTIR DE CÉLULAS-TRONCO PELA PRIMEIRA VEZ

Fonte da imagem: Shutterstock


A ciência continua na busca de um método para curar a calvície. Dessa vez, os pesquisadores conseguiram transformar as células-tronco em folículos pilosos

Atualmente, uma das maneiras mais comuns de acabar com a calvície é transplantar fios de cabelo de uma parte para outra da cabeça. Porém, pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, anunciaram nessa semana uma descoberta que pode ser revolucionária: eles conseguiram fazer com que células-tronco desenvolvessem folículos pilosos.

A descoberta – que foi publicada nesta semana no periódico Nature Communications – marca a primeira vez em que os cientistas conseguem fazer com que células adultas se transformem em um tipo específico de células-tronco que permite desenvolver folículos pilosos.

Iniciando o processo com os fibroblastos, um tipo de célula da pele humana, os pesquisadores adicionaram os genes que fariam com que eles se transformassem em células-tronco pluripotentes, que são capazes de se desenvolver em qualquer outra célula do corpo. Essa técnica se tornou possível a partir de 2004.

Com mais algumas manipulações genéticas, eles foram capazes de transformar o material em células-troco epiteliais, que são exatamente o tipo encontrado nos folículos pilosos. Para verificar a eficácia do método, amostras foram transplantadas em ratos e o resultado foi o desenvolvimento de pele humana equipada com folículos pilosos de onde cresceram cabelos.

Não há como negar que a notícia é animadora para aqueles que gostariam de recuperar os cabelos, mas, infelizmente, essa descoberta não é suficiente para resolver o problema. Por mais revolucionário que seja o estudo, é preciso lembrar que a calvície compromete dois tipos diferentes de células – as epiteliais e as papilas dérmicas –, sendo que ainda não se tem conhecimento sobre a regeneração dessa última.

De qualquer maneira, o novo estudo não deixa de trazer boas notícias e revelar que a ciência continua em busca de uma alternativa que possa melhorar a vida não só dos calvos, mas também de vítimas de queimaduras e acidentes que poderão tirar proveito de um tratamento como esse.




Fonte da imagem: Shutterstock