CARLOS HENRIQUE – O FENÔMENO DO INSTAGRAM



Carlos Henrique, 37 anos, nasceu e morou em Brasília até os sete anos de idade. Para quem não sabe, meu entrevistado é um dos grandes sucessos do Instagram, onde foi recorde em 7 meses, alcançando mais de um milhão de seguidores e se tornando um fenômeno nas redes sociais. 

O instagram é um aplicativo usado gratuitamente permitindo aos usuários tirar fotos, aplicar um filtro e assim compartilhá-la nas rede sociais. O aplicativo foi um projeto desenvolvido pelo brasileiro Mike Krieger e o norte-americano Kevin Systrom, sendo possível compartilhar em redes sociais como Twitter, Facebook, Tumblr e Foursquare. 

Vamos saber um pouco mais sobre isso com o especialista no
 assunto Carlos Henrique.


Carlos Henrique, após os 7 anos de idade foi morar onde?
Depois fui com meus pais para o Rio de Janeiro, onde estudei e me formei em Ciências Econômicas. Fiz uma série de pós-graduações nas áreas de Economia, Administração, Finanças, Direito Tributário, Energia e Meio Ambiente, inclusive no exterior. Comecei minha vida profissional no Setor de Energia Elétrica aos 19 anos e, com 24 anos, fui convidado para voltar a Brasília para trabalhar no Governo. Lá morei por mais oito anos e, em julho de 2008, retornei para o Rio de Janeiro, onde vivo até hoje. Atualmente trabalho no Setor de Energia, mas com atividades relacionadas à assessoria econômico-financeira em uma empresa estatal.


Conte-nos sobre a sua paixão por fotografia.
Tenho diversos hobbies, sendo um deles a fotografia. Antigamente a usava apenas para registrar meus passeios, viagens, comemorações e festas. Sempre fui de tirar muitas fotos, tanto de amigos e familiares, quanto de animais, paisagens, objetos e autorretratos. Mas, com o tempo, fui desenvolvendo a curiosidade e meu olhar fotográfico, em busca de novos ângulos e abordagens diferenciadas sobre um mesmo tema. Também sou um cinéfilo de carteirinha. Adoro praticamente todos os gêneros de filme e tenho uma verdadeira coleção de DVDs e Blurays. Entretanto, com a importância que a fotografia tomou para mim neste último ano por conta do “Instagram”, deixei esse meu outro hobby em segundo plano por falta de tempo.



Tudo começou nas redes sociais? Quando surgiu o interesse em expor suas fotos?
Minha história nas redes sociais com fotografia não é tão recente! Ela data meados de 2003, quando eu já colocava minhas fotos no “Fotolog” e era seguido por muita gente. Eu adorava fazer edições nas imagens e, na maioria das vezes, ficavam superinteressantes! Depois dele veio o “Orkut”, onde até hoje tenho mais de 80 álbuns, com cerca de 5.000 fotos. Recordo-me que cheguei a ter mais de 10 perfis em função do limite de 1.000 amigos por conta. Na sequência, fui na onda do “Facebook” e “Twitter”, mudando meu foco de fotografia para notícias. Nessas redes, controlei meus posts fotográficos para evitar minha exposição pessoal. Uso mesmo para contato com amigos e familiares e para compartilhar conteúdo.

Quando aconteceu o boom em relação as suas fotos?
Foi em meados de 2012 quando entrei para o “Instagram”, abrindo minha conta @chbcdf, a convite de um conhecido. Passei uns 6 meses utilizando a rede apenas para acompanhar as fotos do cotidiano dos meus amigos e familiares, assim como faço com minha conta de “Facebook”. Não postava, tampouco havia um retrato no meu perfil. Por insistência dos amigos comecei a postar no dia 1º de janeiro deste ano. E, para preservar minha privacidade, optei por não colocar fotos do meu cotidiano. Apenas fotos de paisagem.


 Está gostando da entrevista? Veja a entrevista compelta aqui:




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe, opine, colabore, construa. Faça parte desse "universo".